As 10 maiores contratações do futebol europeu no início de 2018

Contrações mais caras de 2018

O mercado de inverno nunca movimentou tanto dinheiro no futebol europeu. Só nas 5 principais ligas europeias (França, Itália, Inglaterra, Espanha e Alemanha) foram gastos 920 milhões de euros (R$ 3,5 bilhões, na cotação de fevereiro de 2018).

O mercado do início do ano sempre foi utilizado apenas para contrações de composição de elenco e oportunidades de mercados, mas este ano os clubes decidiram gastar dinheiro para trazer protagonistas, tanto que duas dessas contratações entraram no seleto top 10 das maiores contratações da história: Philippe Coutinho e Van Dijk.

A contratação mais cara dessa janela até então, havia sido a do meia Oscar, que saiu do Chelsea para o Shanghai SIPG da China por 60 milhões de euros. Cinco contratações da janela de 2018 superaram o valor do meia brasileiro.

Lista das 20 contrações mais caras do início de 2018:

1. Philippe Coutinho – 120 milhões de euros

O meia brasileiro deixou o Liverpool depois de 6 anos, 201 jogos e 54 gols, para ser o camisa 14 do Barcelona, e se tornar o 2º jogador mais caro da história do futebol, com uma transferência que custou 120 milhões de euros à equipe catalã. Acarinhado na Inglaterra, o Brasileiro quer agora confirmar o seu talento entre a elite do futebol europeu, chegando à Rússia com novo status, em Junho. Aqui pode-se consultar os prognósticos da Copa do Mundo 2018, que coloca o Brasil como favorito. Coutinho terá que se exibir a um nível muito elevado para confirmar as previsões.

2. Virgil Van Dijk – 78,8 milhões de euros

O Liverpool surpreendeu o mundo do futebol quando tornou o Holandês, o zagueiro mais caro da história. A equipe inglesa pagou 78,8 milhões ao Southampton, para contar com o defensor de 26 anos, e o encaixe feito com Coutinho muito ajudou. O preço das contratações de zagueiros explodiram nos últimos meses, nomeadamente na Inglaterra… E esse Holandês tem agora todo o peso do mundo em seus ombros, e vai ter que justificar rapidamente o impressionante investimento feito pelo time de Klopp.

3. Diego Costa – 66 milhões de euros

O Brasileiro naturalizado espanhol já estava afastado do elenco do Chelsea, por conta de desentendimentos com o técnico Conte, quando decidiu retornar para a equipe que o projetou para o futebol mundial, o Atlético de Madrid. A equipe espanhola desembolsou 66 milhões de euros para contar com o artilheiro que marcou 84 gols em 134 partidas em sua primeira passagem pelo clube. A torcida colchonera espera por mais!

4. Aymeric Laporte – 65 milhões de euros

O zagueiro francês se tornou o jogador mais caro da história do Manchester City. A equipe inglesa pagou ao Athletic Bilbao cerca de 65 milhões de euros para fortalecer sua defesa. O zagueiro de 23 anos já vinha de 6 anos de destaque pelo time basco. Os citizens constituíram mesmo a linha defensiva mais cara da história do futebol, tendo 5 zagueiros entre os seis mais caros de todos os tempos. Mendy, Walker, Stones e Mangala completam a lista, detrás dos já citados Laporte e Van Djik (Liverpool).

5. Pierre Aubameyang – 63,8 milhões de euros

Depois de muita novela, o Arsenal enfim fechou com o atacante gabonês. Os Gunners pagaram 63,8 milhões ao Borussia Dortmund para contar com os gols e a velocidade do atacante. Pela equipe alemã, foram 213 jogos e 141 gols. E apesar do belo capítulo que escreveu na Alemanha, o seu desejo de partir foi mais forte. Destaque para o fato da sua saída ter aberto espaço para Batshuayi, vindo do Chelsea, que para seu lugar deixou uma vaga para a chegada do agora ex-Arsenal Giroud. Movimentações de mercado à moda da NBA.

6. Cedric Bakambu – 40 milhões de euros

Das maiores contratações desta janela, essa é a única que não envolve duas equipes europeias. O Beijin Guoan da China pagou 40 milhões de euros para contar com um dos principais destaques do Villarreal nos últimos anos. O Francês, que defende a seleção da República Democrática do Congo, marcou 47 gols em 102 jogos pelo Submarino Amarelo. Não sendo propriamente um nome referência no futebol mundial, a China acaba de perturbar um pouco mais o mercado do futebol com esses números astronômicos.

7. Iñigo Martínez – 32 milhões de euros

O Athletic Bilbao foi rápido ao mercado, assim que perdeu Laporte para o Manchester City, e trouxe o Espanhol Iñigo Martínez do Real Sociedad. O clube basco pagou aproximadamente metade do valor da venda de Laporte, 32 milhões de euros, para repor com qualidade a sua defesa. Vale ressaltar que Martínez nasceu em Biscaia, província no norte do País Basco, e assim preenchendo os pré-requisitos para jogar no clube, que quer contar com jogadores com origem naquela região do nordeste de Espanha.

8. Lucas Moura – 28,4 milhões de euros

O meia brasileiro foi diversas vezes preterido pelo técnico Unai Emery no Paris Saint-Germain, e assim não restando outra alternativa, que não fosse a sua saída do clube. O Tottenham, que vive ótima temporada, enxergou no brasileiro uma ótima oportunidade de mercado, e assim desembolsou cerca de 28 milhões para contratá-lo. Além disso, o espanhol desconfiava que Lucas era informante da imprensa, dando informações que não deveriam sair das dependências do clube. E foi assim que Neymar perdeu um dos melhores amigos no clube da capital francesa.

9. André Ayew – 22,8 milhões de euros

O Ganês parece que deixou saudades no Swansea, pois depois de jogar pela equipe na temporada 2015-2016, e ser vendido para o West Ham por 24 milhões de euros, foi novamente contratado pela equipe de País de Gales, onde volta a reencontrar seu irmão, Jordan. Os dois irmãos, filhos do ilustre Abedi Pelé (3 vezes Bola e Ouro africano e com nome de craque), foram formados no Olympique de Marseille, antes de dar o salto para a Premier League. Os dois são realmente inseparáveis.

10. Theo Walcott – 22, 5 milhões de euros

Depois de 11 anos vestindo a camisa do Arsenal, time em que atuou em 397 jogos e marcou 108 gols, Theo Walcott decidiu se mudar de Londres para Liverpool. O Everton pagou 22,5 milhões para contar com um dos jogadores mais rápidos da atualidade do futebol mundial. E tal como todos os jogadores explosivos, lesões musculares acabam sempre surgindo, sendo que Walcott é mais conhecido pelas suas lesões crônicas, que pelos seus gols no Arsenal. Talvez a mudança de ares seja positiva para um jogador que nunca conseguiu confirmar todas as esperanças depositadas nele por parte dos torcedores ingleses.

COMPARTILHAR

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
  Ativar Notificações  
Receber notificação de: