“Uma pessoa sempre de bem com a vida, que procura dar o melhor de si em tudo, seja em prol de seus projetos, sonhos, família ou amigos; tendo sempre como alicerce a fé em Deus”. Assim se define Natasha Marinho, que representa Tocantins no Miss Brasil World 2013, que escolherá a candidata brasileira do maior concurso de miss do planeta (“Miss World 2013”, disputado em setembro na Indonésia). A bela é natural de Belém (PA), tem 26 anos e 1,73 m de altura. Nesta entrevista ela conta um pouco sobre vida pessoal e da preparação para o Miss Brasil World, que acontece dia 6 de abril, no Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba/Rio de Janeiro (onde Natasha já está); confira.

Natasha Marinho

Entrevista exclusiva com Natasha:

1. Quando começou o seu contato com o mundo dos concursos de beleza e por que você quis se tornar uma miss?

NATASHA MARINHO: Meu primeiro contato com o mundo dos concursos de beleza foi quando eu ainda era bebê e venci um concurso de fotogenia em Belém. Posteriormente, iniciei uma carreira de modelo mirim na ‘Mello Model’s’ e as coisas foram se encaminhando até os dias atuais. Sendo o motivo majoritário da minha vontade de me tornar uma miss a total admiração que sempre tive pelo “mundo miss”.

Natasha Marinho

2. Você acha que miss ainda sofre com o estereótipo de que mulheres bonitas não podem ser inteligentes?

NATASHA: Infelizmente, ainda existe tal mentalidade em algumas pessoas, mas graças a Deus ela tem se diluído e será erradicada de vez, devido à exemplos de competência, pois nada melhor para quebrar um tabu do que tempo, realidade e fatos. Eu posso dizer que tenho e sempre terei orgulho de ser miss!

3. Como está sua preparação para o Miss Brasil World? Precisou mudar a alimentação, deixando de lado alguma coisa que adora comer?

NATASHA: Eu precisei e quis focar em uma alimentação mais saudável, aliada à malhação e dança, que adoro. Estava em um peso bom, mas com muita dedicação consegui perder 11 kilos, sendo válido ressaltar que foi de maneira saudável, somada à atividade física regular.

4. O que será mais difícil para você: desfilar para o público e para os jurados ou a competição com as outras candidatas?

NATASHA: Acredito que nenhum deles. O mais difícil é lidar com nós mesmos; e a chave para o sucesso sempre estará em nós mesmos, em como mostramos o que temos por dentro ou se conseguimos mostrar nosso interior e nossa capacidade. Também está em como lidamos com nossas derrotas e mantemos a vontade de vencer canalizada, independente de fatos ocorridos, que mais tarde iremos entender. Logo, o segredo é mostrar do que você é capaz e não se preocupar com mais nada; o resto é consequência e os resultados também. Claro que sempre tem a mão de Deus em tudo que acontece. Ele sabe o que faz sempre.

5. Pretende seguir uma carreira paralela a de modelo? Se sim, qual seria?

NATASHA: Sim, pretendo conciliar às carreiras de apresentadora e atriz.

6. O que você gosta de fazer no seu tempo livre e o que teve de abdicar para se preparar para esta carreira?

NATASHA: Eu adoro ler, dançar, sair com amigos, viajar etc… Creio que grandes sonhos exigem vários sacrifícios e esforços, então, ao longo da vida já abdiquei sim de várias coisas, inclusive dessas. A vida faz a gente perder “escamas”, mas no final vale a pena quando sentimos que o dever foi cumprido.

7. O que um homem precisa para conquistá-la?

NATASHA: Ele precisa ter Deus no coração, ser companheiro, leal, querer viver um grande amor e, principalmente, me fazer rir, pois a vida já é difícil e o que importa é ser feliz.

8. Quem é sua inspiração e por quê?

NATASHA: Deus, pois é ele quem me fortalece e ampara sempre.

9. Compartilhe um segredo de beleza com as leitoras.

Natasha Marinho
NATASHA: Sol para mim não existe. Esta atitude faz muito bem para a pele, pode acreditar.

10. Para terminar, que conselho você daria para as meninas que sonham trabalhar como modelo e/ou entrar para o mundo dos concursos de beleza?

NATASHA MARINHO: Meu conselho seria: não desistam! No começo qualquer carreira é difícil, mas depois tudo flui; com persistência e trabalho duro, é claro.