Com a Miss Universo, eleita em novembro, o ciclo recomeça com os estaduais e o principal, o Miss Brasil Universo 2018; ou como a organização prefere, o “Miss Brasil Be Emotion 2018”, já que parece querer esconder que faz parte da franquia universo. Falando nisso, você já pode conferir as adversárias da brasileira que já estão eleitas e listadas em nosso post do Miss Universo 2018.

E novidades, teremos? Sim. A mais importante é que conheceremos a Miss Brasil 2018 mais cedo, provavelmente em maio, segundo informações de coordenadores que participaram de uma reunião com Marcelo Soes, novo coordenador geral do Miss Brasil (ao que parece), não mais apenas do Miss RS.

Que ótimo, finalmente resolveram antecipar para preparar melhor nossa representante para o Miss Universo! Que nada… Os motivos pelos quais vão antecipar o Miss Brasil são a Copa do Mundo da FIFA e as Eleições. E eu que pensei que finalmente seria para dar um melhor suporte para a candidata que nos representará mais tarde; que ingenuidade. Enfim, vamos aguardar notícias oficiais.

Miss Brasil 2018: Enquete

Muito se fala sobre a real necessidade de ter (real) fluência em inglês para se dar bem no Miss Universo. É óbvio que o domínio do idioma daria muito mais confiança para formular melhor as respostas, mesmo que decoradas. Mas na sua opinião isso deveria ser requisito obrigatório já para a Miss Brasil 2018?

Notícias sobre o Miss Brasil 2018

15 de dezembro | A primeira candidata do Miss Brasil 2018 virá de Roraima! No dia 17 de Janeiro saberemos quem é.

Este atual formato, onde todos os Estados são representados, existe desde 1954; Martha Rocha foi a primeira vencedora.

Nas duas primeiras décadas (1950 e 1960), transmitido pela TV Tupi, o Miss Brasil só perdia em audiência para os jogos da seleção brasileira de futebol. Quanta diferença…

Voltemos a realidade atual. Segundo informações creditadas à Diego Trajano, diretor da Band Piauí, e divulgadas pela imprensa do Estado da atual Miss Brasil, Monalysa Alcântara, as novidades da edição 2018 do Miss Brasil foram apresentadas em reunião ocorrida em 30 de novembro, em São Paulo, que reuniu os coordenadores dos estaduais. As principais novidades no regulamento (segundo a organização) são:

  • As participantes devem ter obrigatoriamente entre 18 e 26 anos de idade, completados até o dia 31 de dezembro de 2017;
  • Candidatas que já participaram de concursos de beleza de outras franquias, 2017/2018, não poderão participar, nem mesmo se tiverem terminado na segunda colocação;
  • A candidata não pode ter filhos adotivos;
  • Deverá estar morando no Brasil há pelo menos seis meses antes da etapa estadual;
  • Precisará também apresentar o passaporte no ato de inscrição.

E a respeito da “nova direção” Be Emotion? Afinal, quais novidades aconteceram na franquia Miss Brasil Universo? A mais visível, intencional ou não, foi o fim do padrão “Natália”, em que praticamente todas as vencedoras seguiam mais ou menos o mesmo biotipo da Miss Brasil 2007, com raríssimas exceções. Ser loira, negra, ruiva ou oriental era uma certeza de derrota.

A Be Emotion chegou e elegeu uma loira, seguida por duas negras; Raissa Santana, Miss Brasil 2016 foi a responsável por quebrar o longo jejum que durou exatos trinta anos; já Monalysa Alcântara, a primeira Miss Piauí eleita Miss Brasil, foi a terceira Miss Brasil Universo negra em toda a história do certame, sendo portanto apenas a segunda negra consecutiva!

Até aí merece os parabéns. Mas e o pós concurso? E a preparação, o apoio, a Band que não exibiu o Miss Universo ao vivo impedindo milhares de pessoas de votarem para ajudar nossa representante?

E os estaduais? Raros divulgam algo; a maioria só apresenta as candidatas em cima da hora. Sem contar que as vezes apresentaram apenas o TOP 2… Vão acabar? Não falam nada.

Candidatas do Miss Brasil 2018

Aqui no Curiosando continuarei a ter posts específicos apenas para o Miss São Paulo, Miss Paraná e Miss Rio Grande do Sul. A razão é porque são os mais procurados e menos piores em se conseguir informações – exceção à coordenação do Paraná que faz questão de divulgar ao máximo. O restante irei concentrar aqui mesmo neste post principal do Miss Brasil à medida em que divulguem algo.

Estados vendedores do Miss Brasil Universo:

Saiba quantas coroas cada Estado já conquistou:

  • Rio Grande do Sul – 13 vezes
  • Minas Gerais – 8 vezes
  • São Paulo – 8 vezes
  • Rio de Janeiro – 8 vezes
  • Santa Catarina – 5 vezes
  • Paraná – 4 vezes
  • Bahia – 3 vezes
  • Ceará – 3 vezes
  • Mato Grosso – 3 vezes
  • Rio Grande do Norte – 2 vezes
  • Piauí – 1 vez
  • Tocantins – 1 vez
  • Mato Grosso do Sul – 1 vez
  • Distrito Federal – 1 vez
  • Pará – 1 vez
  • Amazonas – 1 vez

Informações de quem venceu o Miss Universo

Algumas informações interessantes para pensarmos um pouquinho em quem irá representar o Brasil no Miss Universo (tomara que a organização do Miss Brasil também esteja atenta para esses aspectos):

Altura das vencedoras

Muito se fala da altura das candidatas (desde os estaduais). Será mesmo que este é um fator importante para se vencer um Miss Universo? Veja a altura das vencedoras (e a idade que tinham quando eleitas), do ano 2000 em diante:

2017 – Demi-Leigh Nel-Peters (África do Sul) 22 anos e 1,70m de altura
2016 – Iris Mittenaere (França) 24 anos e 1,73m
2015 – Pia Wurtzbach (Filipinas) 26 anos e 1,70m
2014 – Paulina Vega (Colômbia) 22 anos e 1,78m
2013 – Gabriela Isler (Venezuela) 25 anos e 1,79m
2012 – Olivia Culpo (Estados Unidos) 20 anos e 1,66m
2011 – Leila Lopes (Angola) 25 anos e 1,79m
2010 – Ximena Navarrete (México) 22 anos e 1,74m
2009 – Stefanía Fernández (Venezuela) 18 anos e 1,80m
2008 – Dayana Mendoza (Venezuela) 22 anos e 1,76m
2007 – Riyo Mori (Japão) 20 anos e 1,75m
2006 – Zuleyka Rivera Mendoza (Porto Rico) 18 anos e 1,75m
2005 – Natalie Glebova (Canadá) 23 anos e 1,80m
2004 – Jennifer Hawkins (Austrália) 20 anos e 1,80m
2003 – Amelia Vega (República Dominicana) 18 anos e 1,88m
2002 – Justine Pasek (Panamá) 22 anos e 1,70m
2001 – Denise Quiñones (Porto Rico) 20 anos e 1,78m
2000 – Lara Dutta (Índia) 21 anos e 1,73m

Antecedência na escolha da Miss Brasil

Na imagem abaixo, TODAS as vencedoras do Miss Universo nos últimos anos têm algo em comum: o fato de terem sido eleitas em seus respectivos países com bastaaaaante antecedência. Será coincidência? Conversando com a belíssima Alice Heickmann (que já passou da hora de tentar o Miss RS) soube que o peso da entrevista representa 50% da nota das candidatas; parece que até Raissa Santana confirmou isso, inclusive. Mais um dos muitos motivos para se eleger a Miss Brasil com mais tempo. Beleza não se aprende, mas todas as outras coisas podem ser praticadas. Será que ainda não entenderam isso?

Vencedoras do Miss Universo

2010: Ximena Navarrete eleita miss México dia 20/09/2009, venceu o MU em 23/08/2010
2011: Leila Lopes eleita miss Angola em 08/10/2010, venceu o MU em 12/09/2011
2012: Olivia Culpo eleita miss EUA em 03/06/2012, venceu o MU em 19/12/2012
2013: Gabriela Isler eleita miss Venezuela em 31/08/2012, venceu o MU em 09/11/2013
2014: Paulina Vega eleita Miss Colômbia em 11/11/2013, venceu o MU em 25/01/2015
2015: Pia Wurtzbach eleita miss Filipinas em 15/03/2015, venceu o MU em 20/12/2015
2016: Iris Mittenaere eleita miss França em 19/12/2015, venceu o MU em 30/01/2017
2017: Demi-Leigh Nel-Peters eleita em 26/03/2017, venceu o MU em 26/11/2017

É isso. Está dada a largada para mais uma edição do Miss Brasil Universo; que 2018 seja muito melhor.