Os números do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, de responsabilidade do “Fórum Brasileiro de Segurança Pública”, foram divulgados em outubro de 2020. As informações são divulgadas para o Fórum pelos governos dos estados.

47.773 pessoas foram assassinadas no Brasil em 2019, o que representa 22,7 assassinatos para cada 100 mil habitantes. Uma queda considerável em relação ao recorde de 2017 quando ocorreram 64.078 assassinatos, mas um número ainda muito alto.

O complicado ano de 2020, apesar do isolamento social e quarentenas em vários estados, 25.712 pessoas perderam a vida para a violência no primeiro semestre; aumento de 7% em relação a 2019. Outro aumento foi no feminicídio. 648 vítimas; 1,9% a mais que o primeiro semestre de 2019.

Mais um número inadmissível é sobre o crime de estupro. A cada oito minutos (sim, OITO MINUTOS) acontece um estupro no Brasil. 85,7% das vítimas são mulheres e as com menos de 13 anos de idade já representam 57,9% do total. Os casos em que o abusador é próximo dela ou da família da vítima representam 84,1%.

Número de homicídios dos Estados:

Este é o número absoluto de mortes violentas intencionais, como descreve o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020:

Acre: 296 mortes violentas intencionais
Alagoas: 1.142 mortes
Amapá: 415 mortes
Amazonas: 1.152 mortes
Bahia: 5.832 mortes
Ceará: 2.396 mortes
Distrito Federal: 453 mortes
Espírito Santo: 1.053 mortes
Goiás: 2.288 mortes
Maranhão: 1.562 mortes
Mato Grosso: 906 mortes
Mato Grosso do Sul: 532 mortes
Minas Gerais: 2.827 mortes
Pará: 3.485 mortes
Paraíba: 942 mortes
Paraná: 2.218 mortes
Pernambuco: 3.469 mortes
Piauí: 584 mortes
Rio de Janeiro: 5.976 mortes
Rio Grande do Norte: 1.426 mortes
Rio Grande do Sul: 1.908 mortes
Rondônia: 460 mortes
Roraima: 212 mortes
Santa Catarina: 816 mortes
São Paulo: 4.076 mortes
Sergipe: 967 mortes
Tocantins: 380 mortes violentas

Estados mais violentos do Brasil – 2020:

Eis as taxas de homicídios para cada 100 mil moradores em 2019, em ordem da maior para a menor em todo o ano de 2019:

Amapá: 49,1 mortes para cada 100 mil habitantes
Sergipe: 42,1
Rio Grande do Norte: 40,7
Pará: 40,5
Bahia: 39,2
Pernambuco: 36,3
Roraima: 35,0
Rio de Janeiro: 34,6
Alagoas: 34,2
Acre: 33,6
Amazonas: 27,8
Ceará: 26,2
Espírito Santo: 26,2
Goiás: 26,2
Mato Grosso: 26,0
Rondônia: 25,9
Tocantins: 24,2
Paraíba: 23,4
Maranhão: 22,1
Mato Grosso do Sul: 19,1
Paraná: 19,4
Piauí: 17,8
Rio Grande do Sul: 16,8
Distrito Federal: 15,0
Minas Gerais: 13,4
Santa Catarina: 11,4
São Paulo: 8,9
FONTE: Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020

Racismo

Como não poderia deixar de ser, a questão racial também se faz presente na violência. Senão, como explicar que de cada três policiais mortos, dois são negros ou pardos;

75% das vítimas de assassinatos no Brasil são de pretos ou pardos, sendo que representam 56% da população brasileira;

A taxa de homicídios de não negros caiu 12,9% entre 2008 e 2018 enquanto a de negros assassinados teve alta de 11,5%;

O feminicídio também apresenta uma questão racial, segundo o Atlas da Violência 2020. 67% das vítimas foram pretas e pardas.

A taxa de homicídios de mulheres negras teve aumento de 12,4% enquanto a de não negras caiu 11,7%.

80% das pessoas transexuais assassinadas são pretas e pardas.

Atlas da Violência

Já o Atlas da Violência, divulgado em agosto de 2020, mostra que o país teve 57.956 casos de homicídios em 2019. Outro número preocupante chama atenção: 12.310 mortes entraram nos dados oficiais como “sem esclarecimentos”. São crimes cometidos com arma de fogo, arma branca e objeto contundente que simplesmente não entraram nas estatísticas porque não foram solucionados e apontados como sendo homicídios, mas claro que o são.

Este número é o maior dos últimos oito anos e só perde para as 13.253 mortes sem esclarecimentos registradas em 2009.

Infelizmente isso explica em partes, segundo os pesquisadores, a queda de homicídios em 2018.

Vejamos o caso específico de São Paulo, o maior estado do Brasil.

Foram registradas 4.265 mortes violentas sem causa determinada; uma taxa de 9,4 por cada 100 mil habitantes, sendo maior até que a taxa oficial de homicídios, que foi de 8,2 para cada 100 mil. Preocupante. Vejamos outros dados.

Em fevereiro de 2020 o G1 divulgou que o Brasil teve 41.635 vítimas de crimes violentos em 2019, o que representa 9.923 mortes a menos que em 2018. Os dados de cada Estado ainda não estão disponíveis, mas o post será atualizado tão logo isso aconteçamos. Por enquanto os dados abaixo se referem ao ano passado.

No Brasil acontecem 14% de todos os homicídios do planeta. Em agosto de 2019 o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) em conjunto com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgaram o estudo Atlas da Violência 2019 – Retratos dos Municípios. O estudo mostra que 50% dos 65.602 homicídios ocorridos no Brasil no ano de 2017 aconteceram em apenas 2,1% dos municípios brasileiros.

Escancarando ainda mais o absurdo: o Brasil tem 5.570 municípios, mas 32.801 mortes aconteceram em apenas 120 cidades.

E mais grave, a análise dos municípios mais violentos demonstra que 50% dos homicídios se concentram em menos de 10% dos bairros das respectivas cidades.

Em 2018 o número de mortes violentas caiu 10,4%, mas ainda é assustador saber que aconteceram 57.341 homicídios.

Outro crime gravíssimo que deveria ter mais atenção dos governos é o de estupro.

Ainda no ano de 2018, foram 180 estupros por dia – 66 mil casos; o maior índice desde o ano de 2009. 76% das vítimas conhecem o abusador.

Quais as cidades mais seguras do mundo em 2019?

Dando uma pausa na violência, vemos a outra ponta do gráfico, ou seja as cidades mais seguras do mundo. Quem faz este estudo é a revista britânica “The Economist“, que divulga a lista de dois em dois anos, desde 2015.

Na verdade é algo muito restrito, já que eles monitoram apenas 60 cidades, avaliando 50 indicadores sobre: crimes cibernéticos, nível de infraestrutura, saúde e segurança pessoal.

No caso de Tóquio, a liderança se deve ao desempenho na prevenção de desastres naturais, além das taxas de ataques cibernéticos e criminalidade muito baixas. De qualquer modo, apontam que Tóquio não está imune à corrupção nem ao crime organizado. Veja o TOP 10:

1ª. Tóquio (Japão)
2ª. Singapura
3ª. Osaka (Japão)
4ª. Amsterdã (Holanda)
5ª. Sydney (Austrália)
6ª. Toronto (Canadá)
7ª. Washington (EUA)
8ª. Copenhague (Dinamarca)
9ª. Seul (Coreia do Sul)
10ª. Melbourne (Austrália)

Colocação de outras cidades importantes:

14ª. Londres (Inglaterra)
15ª. Nova York (EUA)
31ª. Pequim (China)
32ª. Xangai (China)
29ª. Milão (Itália)
30ª. Roma (Itália)

59ª. Lagos (Nigéria) e 60ª Caracas fecham o ranking.

Voltando a nossa realidade, o triste é saber que, ainda segundo o relatório do Fórum, apenas 7,5% das vítimas notificam a polícia, ou seja, este número de casos é absurdamente maior. Nos EUA, por exemplo, a estimativa é que 16% a 32% das vítimas notifiquem as autoridades, número também pequeno, mas muito maior do que aqui.

Sem falar no número de 1.206 vítimas de feminicídio e 263.067 boletins registrados sobre agressão doméstica.

O Atlas da Violência dos municípios brasileiros, atualizado em 05 de agosto de 2019 e divulgado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) mostra que das 20 cidades (que têm acima de 100 mil habitantes) mais violentas do país, 18 estão nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.

Os dados de mortes violentas são referentes ao ano de 2017 e foram divulgados pelo próprio Ministério da Saúde.

Segundo o estudo, o custo econômico da violência equivale a cerca de 5,9% do PIB, ou o equivalente a 373 bilhões de reais, pois afeta o preço de bens e serviços. São gastos com segurança privada, seguros, sistema de saúde pública, segurança pública (polícias) e sistema prisional, por exemplo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também divulga números da violência pelo mundo. Os mais recentes, divulgados em abril de 2019, trazem dados igualmente desoladores, confirmando o Brasil como o país com o maior número de assassinatos: 64,9 mil homicídios. O número se refere a 2016 que foi o último em que a entidade conta com dados de 190 países.

Na sequência aparece a Índia com 54 mil homicídios. Em terceiro lugar aparece o México com 21,5 mil mortos, e EUA com 21 mil na quarta posição.

Colômbia (20,9 mil), África do Sul e Paquistão (18,5 mil) e Nigéria, Rússia e Venezuela (15,5 mil homicídios em cada país) completam o TOP 10.

Enquete: Violência no Brasil

Em nossa enquete, que ficou no ar por dois meses, o resultado foi:
Enquete segurança

Voltando aos dados do Ipea e Fórum Brasileiro de Segurança Pública:

Cidades mais violentas do Brasil – 2019

Esta é a lista das 10 cidades, com mais de 100 mil habitantes, mais violentas do Brasil, atualizada em 2019:

1. Maracanaú (CE) 145,7 homicídios para cada 100 mil habitantes
2. Altamira (PA) 133,7
3. São Gonçalo do Amarante (RN) 131,2
4. Simões Filho (BA) 119,9
5. Queimados (RJ) 115,6
6. Alvorada (RS) 112,6
7. Marituba (PA) 100,1
8. Porto Seguro (BA) 101,6
9. Lauro de Freitas (BA) 99
10. Camaçari (BA) 98,1 homicídios para cada 100 mil habitantes

Cidades MENOS violentas do Brasil – 2019

Agora uma pausa para destacar as cidades com as menores taxas de homicídios do Brasil, com números de 2019, entre as que contam com mais de 100 mil moradores, lembre-se:

1. Jaú (SP) 2,7 homicídios para cada 100 mil habitantes
2. Indaiatuba (SP) 3,5
3. Valinhos (SP) 4,7
4. Jaraguá do Sul (SC) 5,5
5. Brusque (SC) 5,8
6. Jundiaí (SP) 6,1
7. Limeira (SP) 7,7
7. Americana (SP) 7,7
7. Bragança Paulista (SP) 7,7
10. Santos (SP) 7,8 homicídios para cada 100 mil habitantes

Samira Bueno, diretora do Fórum de Segurança, faz uma comparação que deixa claro o absurdo que vivemos:

“Em 20 anos, entre 1955 e 1975, morreram 1,1 milhão de pessoas no Vietnã. No Brasil, em 20 anos, entre 1995 e 2015 morreram 1,3 milhão.”

Daniel Cerqueira , pesquisar do Ipea, faz outra comparação igualmente alarmante:

“Apenas em três semanas são assassinadas no Brasil mais pessoas do que o total de mortos em todos os ataques terroristas no mundo nos cinco primeiros meses de 2017 e que envolvem 498 casos, resultando em 3.314 vítimas fatais.”

É isso. Este post sobre os tristes números da violência no Brasil e será atualizado na medida em que as organizações divulguem novos números.

Ativar Notificações
Receber notificação de
guest
10 Comentários
novos
anteriores mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
goku

Brasil perigoso

Nem Souza

É triste, mas é a realidade! Na lista das 10 cidades mais violentas do Brasil. 9 são nordestina! E na lista das 10 cidades mais violentas do mundo. 3 são nordestina! Deus do céu.

Cane Amico

o problema é que o brasileiro é violento, tudo é mata, bate, ri quando alguém está brigando, incentiva a porrada, não respeitam mulheres, torturam os animais de rua. Esses dias fez o giro do mundo a noticia que uma moça foi estuprada por trinta homens no Rio, o video vazou na internet e muitos homens declararam de ter gostado do video!! Absurdo!! Povinho violento, não é a toa que quem sai não volta mais

Stewart Hughes

brasil perigoso pra caramba

Tio DarkCy

Acho engraçado essas molecada com birra de SP. SP tem o maior efetivo policial do Brasil, SP não é só a capital mais segura, como o estado todo é o mais seguro. Diferentes fontes chegam sempre a mesma conclusão. Não adianta ficar mordido, só aceita.

Wagner Martins

estatísticas estão abaixo de opiniões, já que elas ocultam até mesmo o que o povo local expõe.

Wagner Martins

eu tenho um amigo que mora no rio e ele me conta que é tiroteio TODOS os dias, e morre pelo menos duas a três pessoas só no campo de visão dele, e a polícia também diz que lá não tem sossego, a guerra é constante e morrem não só mais criminosos que os outros estados em porcentagem, como também morrem mais policiais. como também tenho outros amigos e pelo que me contam não é nada diferente, e isso vem sendo assim ja faz 10 anos, desde que os conheci. as estatísticas são feitas por ONGs, e as ongs de sp e rj contam somente mortalidade por crime, mas descartam acidentes e mortes naturais, e os outros estados somam tudo. e em sp só vai em notícia 10% do que acontece de mortes, o jornalismo de lá só é divulgado no pais todo, mas o jornalismo dos outros estados é… Leia mais »

SERGIO

Muita gente iria responder: “Esta foto ai em Cima é de Fernando de Noronha, Porto Belo, Maragogi, Ilha Grande, Ilha Bela, Praia do Espelho, Ubatuba”. Isto se Eu não falasse agora que pertence ao Município de Arraial do Cabo, Região dos Lagos, Interior do RJ, terra da atriz Flávia Alessandra que possui uma estátua no Centro desta cidade para competir com a estátua da Brigite Bardot localizada na Cidade de Armação dos Búzios, tb na Microregião denominada de Região dos Lagos, no Litoral Leste do RJ!!comment image

SERGIO

Nação?! Renato Russo, um grande sábio do Rock sabia há mais de 20 anos atrás que o Brasil é Um Estado, com letra maiúscula, que significa=País!! No CD Descobrimento do Brasil, Ele fala do nosso Estado que não é Nação. pois toda verdadeira nação compartilha de uma Mesma cultura independente da cor dos seus habitantes. Ou seja: São pessoas que compartilham costumes em Comum!!! Ex.: Homens usam saia na Escócia, mas não na Inglaterra, e nem no País de Gales e Irlanda do Norte. Logo a Escócia em relação à Escócia é uma Nação, PQ o País se chama United Kingdom, que em Português significa Reino Unido!!! Pq o Brasil não é uma Nação?! Exemplos: No Rio Grande do Sul, as pessoas do interior deste estado falam com um “r” brando tanto no início quão no meio e fim de quaisquer palavras, no Rio e em Minas(Regiões da Zona da… Leia mais »

WEB RADIO ANOS80

Onde Você viu que Santa Catarina é o estado mais seguro amigo ???????????????