Mercado de eSports supera crise no país e cresce mais de 10% em 2020

Mercado de eSports supera crise
Fonte: Unsplash

A crise enfrentada em todo país durante o ano passado fez com que vários setores sofressem perdas consideráveis. Porém, isso não aconteceu com o mercado de eSports, que registrou um crescimento de 10,7% no Brasil. Assim como aconteceu com todos os outros entretenimentos digitais, os jogos eletrônicos aproveitaram o momento para ganhar ainda mais espaço na vida das pessoas. Até mesmo a indústria da música aproveitou a consolidação dos games.

Segundo os números divulgados na 8ª edição da Pesquisa Game Brasil (PGB), a popularidade dos jogos eletrônicos aumentou consideravelmente entre os brasileiros. A porcentagem de pessoas que conhecem ou que jogam subiu de 44% para 55%, na comparação entre 2020 e 2021. Isso significa que mais pessoas estão interessadas no setor e dispostas a gastar mais para comprar jogos, videogames ou qualquer outro acessório que envolve o universo dos games.

Isso explica a projeção otimista que existe quanto ao faturamento no setor de eSports para os próximos anos. Um relatório apresentado pela empresa norte-americana Juniper Research aponta para um aumento de 70% até 2025. A perspectiva é que a receita supere os US$ 3,5 bilhões nesse período. Seria um crescimento robusto para um setor que rende anualmente cerca de US$ 2,1 bilhões para a indústria.

No Brasil, o sinal mais positivo veio pelo crescimento em 2020, enquanto uma boa parte do país sofria com a crise financeira. A audiência nos torneios oficiais, por exemplo, teve um salto significativo. Uma reportagem do site ESPN Brasil mostra que algumas competições de Counter-Strike por aqui passaram de uma média de 30 mil espectadores para quase 80 mil durante o ano passado. É o dobro de audiência em pouco menos de 12 meses.

Os eSports na cultura popular

Um dos principais efeitos desse crescimento é a união entre o eSports e a cultura popular brasileira. No mundo da música, por exemplo, não faltam artistas que estão ficando cada vez mais conectados com os games. O blog Betway Insider fez um levantamento com alguns artistas do trap e do rap, estilos populares na atualidade, que escreveram música sobre os eSports. É o caso do Duzz, do Guxta, do Pedro Qualy, do Young Buda e até mesmo do Emicida. Esse último, inclusive, fez um show ao vivo durante a final do Campeonato Brasileiro de League of Legends de 2018, onde apresentou a música “É só um joguinho”.

Essa proximidade entre a música e os games foi melhor explicada pelo rapper Young Buda. Na entrevista exclusiva à Betway, site de eSports bets, o artista explicou que os jogos eletrônicos fazem parte da vida de quase todos os novos músicos, pois muitos deles jogaram títulos como Counter-Strike, League of Legends e vários outros. Além disso, a estética dos games é algo que chama atenção e isso acaba sendo integrado no processo natural da criação das músicas. Ou seja, as características dos games acabam se encaixando nas criações dos rappers brasileiros.

Isso é algo que não acontece apenas no Brasil, mas também no estrangeiro. Em 2020, o artista norte-americano Travis Scott inovou ao realizar um show totalmente virtual no jogo Fortnite. O evento foi acompanhado por mais de 27 milhões de jogadores, e alguns sites apontam para um faturamento de US$ 20 milhões. Algo histórico e que mostrou a força dessa união entre a música e os games.

Audiência batendo recordes

Os números também mostram que as competições oficiais de eSports estão conseguindo cada vez mais atenção em todo o mundo. No ano passado, durante a disputa do Mundial de League of Legends, cerca de 44 milhões de espectadores simultâneos acompanharam a final da disputa. A marca alcançada ficou na história, pelo menos até o momento, como o torneio de eSports mais assistido do mundo.

Aqui no Brasil, o sucesso de audiência pode ser registrado pelos números no Mundial de Free Fire, uma competição disputada somente por aqui. Em 2020, foram mais de 2 milhões de fãs do jogo que acompanharam a disputa até o final. Um número menor que o de League of Legends, mas com potencial de crescimento.

O entretenimento digital ganhou espaço na vida das pessoas, e os eSports fazem parte dessa digitalização. As pesquisas mostram que nem mesmo a crise que afetou diferentes setores conseguiu impedir o avanço dos jogos digitais, e o crescimento deve continuar no futuro. É um mercado com potencial para crescer por alguns anos.