Startup social lança plataforma para empregar mulheres da área tech

0
Silvia Rodrigues
Silvia Rodrigues é Gestora de Projetos da {reprograma} - Divulgação

Accenture, Creditas, Easynvest, iFood e Nubank estão entre as empresas com vagas abertas

Aumentar o número de cadeiras ocupadas por mulheres na área de tecnologia da informação e diminuir a lacuna de gênero no setor são os principais objetivos da {reprograma}, startup social paulistana, que irá impactar com o projeto Todas em Tech, 2,400 mulheres em situações de vulnerabilidade, além de formar 400 mulheres, preferencialmente, negras, trans e travestis em todo o Brasil,  em programação front-end e back-end, até o final de 2022.

Para facilitar a conexão das formandas ao mercado de trabalho, a startup social acaba de lançar a plataforma de contratação {reprograma}. A versão beta da plataforma está disponível para as empresas parceiras do projeto tecnológico: Accenture, Creditas, Easynvest, iFood e Nubank, desde o dia 15 de julho.

“Na plataforma, as empresas parceiras puderam conhecer o perfil de todas as alunas que se formaram nas duas primeiras turmas do Todas em Tech, do primeiro semestre de 2021, além de convidá-las a participarem dos seus processos de seleção”, comenta a Gestora de Projetos da {reprograma} Silvia Follador.

Para as empresas externas, aquelas que não financiaram o projeto Todas em Tech, a versão beta da plataforma começou a ser utilizada na última segunda-feira, dia 02. Ao adquirir o acesso à plataforma, as empresas podem oferecer vagas de emprego e realizar seus processos de seleção até a contratação. Na plataforma, por exemplo, é possível acompanhar o desempenho das alunas em cada etapa do processo e se comunicar diretamente com elas. 

“Elas podem publicar a vaga como aberta, no qual qualquer aluna inscrita na plataforma pode se candidatar, além da possibilidade de publicar a vaga fechada e destiná-la  apenas para um grupo de programadoras pré-selecionadas pela área de recrutamento e seleção das empresas”, explica Follador.

As empresas interessadas em ter o acesso da plataforma de contratação da {reprograma} deverão entrar em contato através do formulário: https://reprograma.typeform.com/to/aR9oYtnF

Principais funções da plataforma

O convite para participar da plataforma de contratação é feito de duas maneiras, o primeiro é exclusivo: a aluna só pode se candidatar por meio de um convite, já o segundo modo é aberto: qualquer aluna cadastrada na plataforma pode se candidatar.

Na versão beta, o foco da empregabilidade é para as alunas formadas no Todas em Tech no primeiro semestre, com dois grandes componentes:

1. Criação do perfil das alunas que concluíram os primeiros dois cursos do Todas em Tech: nesse perfil haverá as seguintes informações: formação, experiência profissional, habilidades e competências, além da exibição do portfólio e outros projetos que as alunas já desenvolveram ou estão em processo.

Até o momento, há 72 alunas cadastradas, sendo que 80% são negras, 9% trans ou travestis. Além disso, 70% são do Norte e Nordeste.

2. Perfil das empresas: informações com um breve descritivo, número de funcionários, site, possibilidade de subir um vídeo e/ou apresentação institucional, além da pessoa recrutadora – que será responsável por navegar na plataforma, descrição da vaga e seu respectivo processo seletivo de ponta a ponta.

O segundo componente permite à empresa executar o processo seletivo por meio da plataforma, ela pode listar todas as etapas de seu processo seletivo, como triagem, teste técnico e entrevistas, e por último realizar a comunicação com as alunas por meio da plataforma.

Até o momento, Accenture, Creditas e Nubank já estão com vagas abertas na plataforma de contratação.

Para futuras versões da plataforma, há expectativas de disponibilizar materiais de apoio como textos, e-books e vídeos.

Sobre a {reprograma}

Fundada em 2016, pela peruana Mariel Reyes Milk e suas sócias Carla de Bona e Fernanda Faria, a startup social paulistana que ensina programação para mulheres, priorizando as negras e/ou trans e travestis, por meio da educação, tem o objetivo diminuir a lacuna de gêneros na área de T.I. A {reprograma} possui parceria com grandes empresas como Accenture, Creditas, Facebook, iFood, entre outras. Mais informações no www.reprograma.com.br

Artigo anteriorA Telemedicina como peça fundamental no enfrentamento do Covid Longo
Próximo artigoCom onda extrema de frio retornando em São Paulo, cães que sofrem com dores nas articulações precisam de cuidado redobrado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui