Coronavírus: tudo o que gestantes, tentantes, puérperas e lactantes devem saber

0
33
Dra. Mariana Rosario
Dra. Mariana Rosario - Ginecologista, Obstetra e Mastologista. CRM- SP: 127087. RQE Masto: 42874. RQE GO: 71979

É preciso esperar quanto tempo depois da vacina para engravidar? Engravidei depois da vacina, corro risco de abortar? Qual a melhor vacina para gestantes? Posso amamentar depois de tomar a vacina? E meu parceiro, precisa se vacinar em um momento certo? Obstetra responde dúvidas de gestante, tentantes e puérperas.

Dra. Mariana Rosario, ginecologista, obstetra e mastologista, fala tudo o que se sabe, até agora, sobre as vacinas disponíveis no Brasil e a relação delas com gestantes, tentantes e puérperas.

São Paulo, 13 de agosto de 2021 – Gestantes, puérperas (mulheres que acabaram de dar à luz) e tentantes (mulheres que tentam engravidar) precisam ficar atentas à vacinação contra o coronavírus: existem detalhes importantes que, se não observados, podem comprometer a saúde da mãe e até comprometer o desenvolvimento da gestação, ampliando a possibilidade de um aborto. “É fundamental que todas as mulheres se informem corretamente e sempre consultem um obstetra, que poderá avaliar a condição de saúde de cada uma delas, individualmente, colocando os benefícios e riscos da vacinação na balança”, explica a Dra. Mariana Rosario, ginecologista, obstetra e mastologista, membro do corpo clínico do hospital Albert Einstein.

Ela responde a dúvidas de gestantes, tentantes e puérperas sobre a vacinação contra a Covid-19:

  • Quando as gestantes devem tomar a vacina?

Dra. Mariana Rosario – Eu indico que a vacinação para gestantes ocorra sempre depois do primeiro trimestre de gestação. No começo da gravidez, o corpo está em adaptação ao processo de implantação do embrião e, além disso, todo o sistema imunológico está voltado à concepção e à embriogênese. Então, incluir mais um evento imunológico nesse contexto pode sobrecarregar o organismo e causar danos a algumas mulheres. É importante, ainda, que mulheres com comorbidades sejam orientadas pelos seus obstetras.

  • Qual vacina é a mais indicada?

Dra. Mariana Rosario – Nenhuma vacina teve testes completos – mas, sim, preliminares – realizados em gestantes. A Coronavac é composta pelo vírus SARS-CoV-2 inativado (morto), com sua estrutura completa. Este vírus é incapaz de se multiplicar, mas estimula o nosso sistema de defesa a produzir fatores de proteção contra a doença. É a vacina que eu indico para minhas pacientes tomarem porque ela tem uma estrutura semelhante à vacina da gripe, já adotada para gestantes. O Ministério da Saúde considera segura também da vacina da Pfizer, que não possui vetor viral. Vacina da Astrazeneca é contraindicada para gestantes e, em relação à da Janssen, ainda estão sendo realizados estudos sobre ela para esta população, portanto, não pode ser administrada neste momento.

  • Puérperas podem ser vacinadas?

Dra. Mariana Rosario – As mulheres que tiveram filhos e não foram vacinadas na gestação podem ser vacinadas a qualquer momento.

  • É possível amamentar depois da vacinação? Quando?

Dra. Mariana Rosario – Sim, a mulher pode amamentar seu filho depois de vacinada, no mesmo dia em que se vacinou, e mesmo com efeitos colaterais causados pela vacinação.

  • Quem está tentando engravidar pode tomar a vacina contra o coronavírus? Quanto tempo depois de tomar a vacina é preciso esperar para engravidar?

Dra. Mariana Rosario – Aqui, cada caso é um caso, porque varia conforme o tempo que a mulher tem para engravidar:

 – Pacientes com reserva ovariana baixa, quase na menopausa ou que passarão por procedimento de fertilização assistida devem realizar o procedimento/engravidar e, depois, se vacinarem.

 – Quem foi vacinada com a Coronavac, Pfizer ou Janssen precisa esperar dois meses depois da segunda dose para iniciar as tentativas de gravidez, conforme indicações de infectologistas e obstetras – porque não há estudos oficiais sobre o tema.

 – Quem foi vacinada com Astrazeneca deve esperar seis meses após a segunda dose para se vacinar – também conforme indicações de infectologistas e obstetras – porque não há estudos oficiais sobre o tema.

  • Mulheres que se vacinaram e engravidaram na sequência correm algum risco?

Dra. Mariana Rosario – Ainda não existem estudos sobre isso. Os médicos pedem que aguardem e tenham cautela porque as vacinas disponíveis estão relacionadas a aumento de casos de trombose. A gestação, naturalmente, é um evento que pode promover quadros pró-trombóticos e, por isso, existe um risco aumentado de abortos por esse motivo. Quem não esperou, portanto, teoricamente, pode correr esse risco. Outro dano que devemos amenizar é o de não haver a implantação do embrião por conta das modificações do sistema imunológico decorrentes da vacinação. O importante, caso isso aconteça, é acompanhar com o obstetra.

  • Em relação aos pais, eles precisam ter algum cuidado na vacinação? Existe alguma alteração na fertilização?

Dra. Mariana Rosario – Não existe nada comprovado, então, eles podem se vacinar a qualquer momento.

Sobre a Dra. Mariana Rosario

Formada pela Faculdade de Medicina do ABC, em Santo André (SP), em 2006, a Dra. Mariana Rosario possui os títulos de especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia pela AMB – Associação Médica Brasileira, e estágio em Mastologia pelo IEO – Instituto Europeu de Oncologia, de Milão, Itália, um dos mais renomados do mundo. É membro da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP) e formação em Longevidade pela ABMAE – Associação Brasileira de Medicina Antienvelhecimento. É médica cadastrada para trabalhar com implantes hormonais pela ELMECO, do professor Elsimar Coutinho, um dos maiores especialistas no assunto. É membro do corpo clínico do hospital Albert Einstein, um dos mais renomados do mundo.

Possui vasta experiência em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia, tanto em Clínica Médica como em Cirurgia Oncoplástica. Realiza cursos e workshops de Saúde da Mulher, bem como trabalhos voluntários de preparação de gestantes, orientação de adolescentes e prevenção de DST´s. Participou de inúmeros trabalhos ligados à saúde feminina nas mais variadas fases da vida e atua ativamente em programas que visam ao aprimoramento científico. Atualiza-se por meio da participação em cursos, seminários e congressos nacionais e internacionais e produz conteúdo científico para produções acadêmicas. É médica cadastrada para trabalhar com implantes hormonais pela ELMECO, do professor Elcimar Coutinho, um dos maiores especialistas no assunto.

Dra. Mariana Rosario – Ginecologista, Obstetra e Mastologista. CRM- SP: 127087. RQE Masto: 42874. RQE GO: 71979.

Gosta de jardinagem e natureza?

Adoro Plantas no Instagram