O Miss Brasil Universo 2019 (Miss Brasil Be Emotion, se preferir) deve acontecer bem mais cedo do que de costume; no mês de março de 2019. Os estaduais desta 65ª edição começaram pelo Miss São Paulo, em 13 de outubro de 2018, e devem terminar com o Miss Rio Grande do Sul no fim de fevereiro de 2019 (confira mais abaixo o calendário dos estaduais e não deixe de conferir também o post do Miss Universo 2018 que contará com a Miss Brasil Mayra Dias).

Cada ano que passa parece que o evento fica cada vez mais restrito, como sendo para um micro-nicho, perdendo relevância geral. Os números de audiência parecem corroborar isso. Segundo a Kantar Ibope, a edição 2018 perdeu até da RedeTV!, com 2,2 pontos de média durante a transmissão do concurso. Com base na Grande São Paulo, cada ponto equivale a 71.855 domicílios e 201.661 pessoas.

Os números na internet não podem ser mensurados sem que os próprios sites os divulguem, mas no caso do Curiosando a visitação no dia da grande final foi 70% inferior à edição 2017. E vem em queda livre desde 2016. Será que a próxima edição recupera o fôlego?

Talvez se tivesse uma melhor divulgação, quem sabe. Para se ter uma ideia, comecei a escrever este post no domingo, dia seguinte à seletiva do Miss São Paulo 2019. Praticamente um dia depois não consegui nenhuma informação oficial se a seletiva realmente aconteceu, ou mesmo imagens das candidatas e muito menos o resultado dela. Assim fica difícil, não dá nem vontade de continuar essa cobertura. É como murro em ponta de faca.

Notícias do Miss Brasil 2019

Todas as notícias divulgadas serão aqui publicadas, como a escolha dos jurados, por exemplo. Este ano poderiam optar por pessoas que entendem um pouquinho mais desse mundo miss, ao invés de “celebridades” ou “influencers”, que até podem alavancar alguma coisa nas redes sociais, mas isso basta?

Em declaração divulgada pela agência FOLHAPRESS, o dono da Polishop, que adequou os direitos da franquia Miss Brasil Universo, e sumiu com o Universo do nome, João Appolinário explica o “novo formato”:

“Nós criamos uma outra linguagem. A ideia foi modernizar e trazer o concurso mais perto do mundo fashion da moda, e atribuir o glamour que, da minha maneira de ver, não estava sendo aplicado no formato antigo. É outra produção, outra forma, outra pegada, com uma bancada de jurados ligada à moda e beleza.”

Será que essa pegada fashion e os tais jurados ligados à moda estão trazendo o resultado esperado? O fato é que desde 2013 o Brasil não entra num TOP 5; quem sabe neste ano.

2011, Priscila Machado (3ª colocada no Miss Universo)
2012, Gabriela Markus (5ª colocada no Miss Universo)
2013, Jakelyne Oliveira (5ª colocada no Miss Universo)
2014, Melissa Gurgel (Top 15 no MU)
2015, Marthina Brandt (Top 15 no MU)
2016, Raissa Santana (Top 13 no MU)
2017, Monalysa Alcântara (Top 10 no MU)

E o tal formato “reality”, que de realidade não teve quase nada? Vamos assistir as situações claramente forçadas, falas decoradas e nada naturais, além de provas de gosto duvidoso, como por exemplo o “troca de pele” dando 5 minutos para as meninas escolherem trajes e depois trocarem com outra miss; o que isso acrescentou?

Ainda a respeito da “nova direção” Be Emotion fica a pergunta: quais novidades relevantes aconteceram na franquia Miss Brasil Universo? A mais visível, intencional ou não, foi o fim do “padrão Natália”, onde praticamente todas as vencedoras seguiam mais ou menos o mesmo biotipo da Miss Brasil 2007. Ser loira, negra, ruiva ou oriental era certeza de derrota.

A Be Emotion chegou e logo elegeu uma loira, coisa que não acontecia desde 2005; em seguida tivemos duas negras. Raissa Santana, Miss Brasil 2016 foi a responsável por quebrar o longo jejum que durou exatos trinta anos; já Monalysa Alcântara, a primeira Miss Piauí eleita Miss Brasil, foi a terceira Miss Brasil Universo negra em toda a história do certame, sendo portanto apenas a segunda negra consecutiva!

Até aí merece os parabéns. Mas e o pós-concurso? E a tal preparação, o apoio, a Band que não exibiu o Miss Universo ao vivo impedindo milhares de pessoas de votarem para ajudar nossa representante?

Parece que não estou sozinho neste pensamento. Uma bela miss estadual de 2017 (prefiro não citar qual), em entrevista concedida meses depois da grande final daquele ano, também disse acreditar que a organização faz o Miss Brasil pensando na venda de produtos e não em preparar para o Miss Universo; as meninas que pensam em MU tem que correr atrás de preparação por conta própria sem esperar muito da Be Emotion, disse ela.

E os estaduais? Raros divulgam algo; a maioria só apresenta as candidatas em cima da hora. Sem contar que as vezes apresentaram apenas o TOP 2. Será então que irão acabar? Não falam nada.

Enfim. Vamos ver o que nos espera.

Calendário dos Estaduais do Miss Brasil 2019

Eis as datas dos concursos que elegem as candidatas do próximo Miss Brasil; lembrando que essas datas podem ser alteradas a qualquer momento.

Dezembro

(1) Santa Catarina
(10) Rio de Janeiro
(15) Mato Grosso do Sul

Em Janeiro

(5) Amapá
(12) Rondônia
(15) Espírito Santo
(17) Tocantins
(19) Roraima
(22) Amazonas
(24) Acre
(26) Distrito Federal
(30) Bahia
(31) Rio Grande do Norte

Em Fevereiro

(1) Pernambuco
(2) Maranhão
(5) Paraná
(7) Alagoas
(9) Pará
(12) Minas Gerais
(14) Mato Grosso
(16) Piauí
(19) Paraíba
(21) Ceará
(23) Rio Grande do Sul

Candidatas do Miss Brasil 2019

Este espaço está reservado para as estrelas do show, conforme sejam eleitas. Tentarei, na medida do possível, trazer as candidatas dos estaduais que as divulgarem:

Miss Goiás 2018 – Isadora Dantas

Fotos: Reprodução/@isadorardantas
Miss Goiás 2018 - Isadora Dantas
A Miss Goiás, Isadora Dantas tem 22 anos e 1,73 m | Modelo e Estudante de Jornalismo.

Miss São Paulo 2019 – Bianca Lopes

Fotos: Reprodução/@bianca.dlopes
Miss São Paulo 2019 - Bianca Lopes
A Miss São Paulo, Bianca Lopes tem 21 anos e 1,68 m | Modelo e estudante de Direito – Representou Jahu no Miss SP.

Miss Sergipe 2019 – Ingrid Vieira Moraes

Fotos: Reprodução/@ingridvieiramoraes
Miss Sergipe 2019 - Ingrid Vieira Moraes
A Miss Sergipe, Ingrid Vieira Moraes tem 24 anos e 1,76 m | Representou Barra dos Coqueiros no Miss SE.

Estados vendedores do Miss Brasil Universo:

Saiba quantas coroas cada Estado já conquistou:

  • Rio Grande do Sul – 13 vezes
  • Minas Gerais – 8 vezes
  • São Paulo – 8 vezes
  • Rio de Janeiro – 8 vezes
  • Santa Catarina – 5 vezes
  • Paraná – 4 vezes
  • Bahia – 3 vezes
  • Ceará – 3 vezes
  • Mato Grosso – 3 vezes
  • Amazonas – 2 vezes
  • Rio Grande do Norte – 2 vezes
  • Piauí – 1 vez
  • Tocantins – 1 vez
  • Mato Grosso do Sul – 1 vez
  • Distrito Federal – 1 vez
  • Pará – 1 vez

É isso.