Pesquisa inédita feita com neurociência revela expectativas para volta do trabalho presencial em 2022

Estudo realizado pela startup Fiter revela que 94% dos entrevistados são mais felizes no trabalho em home office e 88% são mais produtivos no modelo presencial

Passados dois anos desde o início da pandemia, é inegável que mercado de trabalho sofreu diversas alterações para sua adaptação. Com a ascensão dos modelos home office e híbrido, muitos são os profissionais que não pensam em retornar para o trabalho presencial. A startup fiter – primeira empresa brasileira a utilizar neurociência e psicologia aplicada a gestão de pessoas – realizou um estudo voltado aos índices de felicidade dos colaboradores atuantes em cada regime com dados armazenados durante o período de julho a outubro de 2021.

Segundo Sergio Amad, CEO da organização e responsável pela avaliação, “A ferramenta que alia tecnologia e humano ciência possui em sua composição quatro dimensões globais voltadas à medição da felicidade no ambiente de trabalho, são elas: pessoa certa no lugar certo; orgulho de pertencer; clima no trabalho e produtividade”.

A análise para medir os índices de felicidade dos colaboradores nos três modelos de trabalho, incluiu 30 empresas localizadas em todo o território nacional e 29 mil funcionários. A pesquisa demonstrou que, ao decorrer dos meses, o home office tornou-se preferência para mais de 94% dos profissionais, seguido pelo modelo presencial com 87% e, por último, o híbrido com 85%. “Foi evidenciado que o trabalho home office teve grande contribuição na percepção geral de felicidade no trabalho, com aumento de oito pontos percentuais comparado com a atuação híbrida. Tratando-se do modelo presencial, o home office obteve um ganho de sete pontos percentuais”, explica o especialista. Ainda, completa “A atuação híbrida é a grande novidade, foi adotada em maior escala após o cenário de retorno gradativo da atuação presencial nas empresas brasileiras. As empresas estão se adaptando ao modelo híbrido e o número de felicidade demonstra um cenário com muito potencial de evolução em 2022”.

No que diz respeito aos índices comparativos de produtividade em cada prática, o trabalho presencial recebeu destaque após apresentar um aumento de 5% se comparado a atuação híbrida e 4% no que se refere ao home office. “O cenário muda quando analisamos o clima no trabalho de cada forma de atuação. O home office foi responsável pelo maior índice de clima favorável para o trabalho, com aumento de 19 pontos percentuais comparado com a atuação presencial”, afirma Sergio.

Na média, a taxa de felicidade em home office de empresas no Brasil ficou em 94%. O estudo apresentou que na média comparativa, as empresas com atuação home office potencializam a percepção de felicidade, na contrapartida a percepção de produtividade perde quatro pontos percentuais na comparação com a atuação presencial.

Instagram Adoro Plantas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui