A descoberta de uma traição não precisa significar o fim de um relacionamento. Nem sempre a noção do que é uma traição é uma assimilação óbvia. Por exemplo… entre 18% e 25% dos usuários do Tinder estão em um relacionamento sério enquanto usam o aplicativo. A intenção de trair já pode ser considerado um desvio ou é preciso ter uma concretização dos fatos?

Você perdoaria uma traição

A verdade é que de acordo com um estudo discutido pela rede de notícias BBC, cerca de 70% das pessoas não discutem com os parceiros o que consideram traição.

A forma mais comum delas, o envolvimento sexual e amoroso de parceiros com pessoas fora do casamento, não deixam dúvidas no brasileiro: 50,5% dos homens brasileiros admitem já terem sido infiéis, contra 30,2% das mulheres.

O dado faz parte da pesquisa Mosaico 2.0, conduzida pela psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

O levantamento, que ouviu 3 mil brasileiros de 7 regiões metropolitanas do país, chegou a uma média nacional de traição: entre homens e mulheres, o índice de infiéis é de 40,5%.

Os entrevistados – 49% de mulheres e 51% de homens – tinham entre 18 e 70 anos, com média de 35,5 anos.

Como descobrir uma traição com a ajuda de um detetive particular

Por mais que a traição seja tão comum, nem sempre as pessoas têm a sagacidade necessária para descobrir tudo sozinhas. As desconfianças sem provas concretas podem ser apenas suposições.

Com a ajuda de um detetive particular, essas provas (de infidelidade ou inocência do cônjuge) podem ser descobertas de uma maneira segura. Lembre-se que um profissional foi treinado a aplicar técnicas para chegar a conclusões sem ser desmascarado.

A base da investigação deverá ser feita em cima das informações passadas pelo cliente, como os motivos que o levam a achar que o parceiro está traindo: mudanças de rotina, alteração no humor, brigas constantes, problemas com a comunicação, cheiros e aromas diferentes e mudanças de interesses.

O segundo passo do profissional será chegar até onde é impossível para o cliente: o segredo. Mensagens instantâneas, ligações telefônicas, e-mail, rotina do investigado. É aqui que o trabalho do detetive se mostra essencial para a comprovação dos casos.

A popularização das redes sociais e aplicativos em geral ajudou bastante a não só levantar suspeitas de maneira mais escancarada, mas também facilitou a espionagem. Esse tipo de exposição é mais fácil do que se imagina de ser violada, por exemplo.

Uma traição não é necessariamente o fim

Existem vários motivos que podem justificar uma traição, não existem regras quando o assunto é o relacionamento das pessoas. Mas, de fato, traição não é nenhum fenômeno novo. Ela pode acontecer até em relacionamentos felizes, a crença de que a pulada de cerca é um escape para um casamento que já acabou nem sempre é verdade.

Por conta do impacto inicial que esse tipo de notícia pode causar, é normal que as pessoas vejam os detetives particulares como verdadeiros algozes dos casamentos. Mas, não é bem assim. Assim como existem traídos e traidores, o desfecho dessas histórias podem também envolver perdão.

A descoberta de uma traição, atestada por um profissional respeitado, pode ajudar numa conversa sincera entre o casal, por exemplo. Sem as provas, o parceiro pode negar as acusações e continuar negando junto os problemas da relação.

A grande questão é: você não precisa ficar em dúvida ou se expor tentando descobrir o que precisa sobre seu parceiro. A contratação de um detetive nesses casos em geral vai confirmar suspeitas, mas podem também ser ótimos pontos de partida para novas formas de lidar com o seu relacionamento.

Fonte: Líder Detetives

Ativar Notificações
Receber notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários