Melhores cidades do Brasil e do mundo [e também os Países Mais Ricos]

Por  |  12 Comentários

Em reportagem publicada na revista Veja, foram destacados 40 dos 5.564 municípios brasileiros que possuem indicadores sociais comparáveis aos de países ricos, como a Itália, representada pela Toscana na foto abaixo.

Esta pesquisa, pode-se dizer, define quais são as melhores cidades para se viver no Brasil, para os diversos fins. O artigo é apenas um resumo baseado numa única pesquisa. Porém, ela levou em conta critérios como qualidade de vida, segurança, internet, reciclagem de lixo, leitos hospitalares etc.

Portanto, tem quem busca uma cidade rica em hospitais ou quem faz questão de ter o lixo 100% reciclado. As melhores cidades são muitas, depende do que você procura.

Vale a pena conferir e ver também, na continuação deste post, as melhores cidades do mundo, e também as mais poluídas, além de saber quais são os países mais desenvolvidos do planeta.

Toscana

As Melhores Cidades do Brasil

A melhor em qualidade de vida

O maior índice de área verde
Goiânia, com 0,8 árvore e 94 metros quadrados de matas por habitante.

A que tem o melhor IDH

São Caetano do Sul (SP). O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), mede a qualidade de vida com base em: renda per capita, alfabetização e expectativa de vida.

A cidade mais segura

Maringá, no Paraná. Seus índices de criminalidade são comparáveis aos de Amsterdã, na Holanda, com taxa de homicídios de 7,9 para cada 100 mil pessoas.

A cidade com a maior cobertura wireless

Três cidades brasileiras têm cobertura 100% wireless (até 2008): Parintins (Amazonas), Piraí (Rio de Janeiro) e Sud Mennucci (São Paulo).

A cidade mais informatizada

Brasília tem o maior porcentual de domicílios com acesso a aparelhos de tecnologia de informação e comunicação.

Sustentabilidade: a maior produtora de energia eólica

Osório (Rio Grande do Sul). Seus 75 cata-ventos formam o maior parque eólico da América Latina, fornecendo energia a seus 40 mil habitantes, mais 650 mil em Porto Alegre.

A cidade que mais recicla

Pindamonhangaba (SP), que sedia a maior empresa de reciclagem do planeta, a Novelis.

A maior fabricante de lingerie

Nova Friburgo (RJ), é sede de 900 confecções de roupa íntima.

O maior exportador de peixes

O município amazonense de Barcelos.

A maior produtora de café

Patrocínio (MG). 42 mil toneladas de café são colhidas lá.

A maior exportadora de sapatos

Sobral (CE). O Ceará produz 37% dos sapatos exportados pelo país. Sobral responde por 45% desse montante.

A maior produtora mundial de suco de laranja

Itápolis (SP), produz 710 mil toneladas de laranja por ano.

A maior fabricante mundial de etiquetas

Blumenau (SC), é a líder mundial na produção de etiquetas. O segmento fatura cerca de 500 milhões de reais por ano.

A maior fabricante mundial de lápis

São Carlos (SP), é responsável por 40% da produção nacional, com 1,8 bilhão de unidades por ano.

Educação e cultura: a mais alfabetizada

São João do Oeste (SC), onde menos de 1% da população com mais de 15 anos é analfabeta. A taxa é semelhante à do Japão.

A maior freqüência escolar

Orindiúva (SP), ficou com o primeiro lugar no ranking de responsabilidade fiscal e social elaborado pela Confederação Nacional dos Municípios. Conquista semelhante à da Finlândia.

A cidade das artes plásticas

Olinda, na região metropolitana do Recife tem a maior proporção de artistas por metro quadrado do Brasil.

A cidade onde mais se lê

Passo Fundo (RS). São lidos em média, 6,5 livros por ano — um índice próximo ao francês e mais de três vezes superior ao brasileiro.

A única totalmente branca

Montauri (RS), onde todos os 1 583 habitantes contados em 2007 pelo IBGE são caucasianos.

A maior proporção de negros

Riacho Frio, no sul do Piauí. 62% da população. Outros 18% são pardos.

O maior número de índios urbanos

Manaus, poderia ser declarada como a cidade com a quinta maior reserva do país.

Religião: a mais evangélica

Quinze de Novembro (RS), onde 80% dos 3 600 habitantes se denominam protestantes.

A mais incrédula

Nova Ibiá, na zona cacaueira da Bahia, onde 60% dos habitantes declaram não ter religião.

A mais muçulmana

Chuí (RS), onde 3% dos 5 200 habitantes se declaram muçulmanos. É o suficiente para que ela seja considerada a cidade com a maior proporção de seguidores dessa religião no país.

Saúde: a maior proporção de idosos

São Paulo. 9% da sua população é de pessoas com mais de 60 anos. Ao todo, são 970 mil cidadãos. A maioria deles em bairros nobres, como Higienópolis e Jardins.

A maior proporção de médicos

Niterói (RJ) tem 1 médico para cada 94 pessoas.

A menor mortalidade infantil

Janaúba (MG) registra apenas 4,1 óbitos por cada 1 000 nascidos. A média nacional é de 25 óbitos por 1 000 nascidos.

O melhor sistema de saúde

Santa Cruz do Sul (RS), mais conhecida como a capital do fumo, abriga o maior complexo beneficiador de fumo da América Latina, mas gasta 30% do seu orçamento com saúde. A cobertura do sistema público alcança 90% da população.

A maior concentração de psicólogos

Assis (SP), tem 1 psicólogo para cada 48 habitantes.

A maior proporção de vegetarianos

Florianópolis (SC). 1 em cada 7 mil habitantes é vegetariano.

A maior população de hippies

A aldeia de Arembepe em Camaçari (BA), tem a maior concentração de hippies do país: setenta adultos e crianças, que sobrevivem da venda de artesanato.

A capital do divórcio

Campo Grande (MS), é a cidade que registra a maior proporção de divórcios no país.

A maior proporção de bares

Belo Horizonte (MG) tem 10 mil estabelecimentos desse tipo (um para cada 240 habitantes).

A maior proporção de bicicletas

Afuá, no Pará. A cidade foi construída sobre palafitas e seus habitantes usam pontes de madeira, que suportam pouco peso para se deslocar. Por causa dessas características, Afuá criou o bicitáxi, um riquixá movido a pedaladas.

A capital das piscinas

São José do Rio Preto (SP) tem uma para cada 565 cidadãos.

O maior número de motos

A amazonense Tabatinga.

O centro da culinária caprina

Petrolina (PE), no Vale do São Francisco. Em seus dez restaurantes e 22 quiosques, pode-se degustar iguarias como a pizza e o sushi de bode, além, é claro, da clássica buchada.

O principal destino do turismo de lazer

São Paulo é a cidade que mais recebe estrangeiros, mas a maioria vem para fazer negócios. O Rio de Janeiro é o destino de 30% dos estrangeiros que buscam diversão no Brasil.

A maior corrida de jegues

Panelas, no agreste pernambucano, onde é disputada a maior corrida de jumentos do mundo. A última edição contou com 90 animais.

A maior receptora de cruzeiros marítimos

Búzios (RJ).

CIDADES MAIS CARAS DO MUNDO

Existem várias listas que apontam as cidades mais caras do mundo para se viver. Uma das mais importantes é a Worldwide Cost of Living Survey 2013, desenvolvida pela Economist Intelligence Unit (EIU). Este é o ranking das cidades mais caras que você confere em primeiro lugar.

É possível saber que em Tóquio, que lidera a lista, você pode ter de desembolsar 9 dólares por um simples Pão de Forma (o mesmo preço foi verificado em Caracas, na vizinha Venezuela, que ficou em 9º lugar); vemos ainda que um jantar num restaurante de luxo em Paris pode passar dos 2 mil dólares.

Na verdade não deve demorar muito para pagarmos isso nas cidades mais caras do Brasil. Pelo fato da “desvalorização” do Real, São Paulo aparece em 43º lugar enquanto o Rio de Janeiro foi a 61ª cidade mais cara para se viver. Mas como bem destacou uma reportagem sobre o tema exibida pela BBC, a queda no ranking não significa que elas ficaram mais baratas para nós moradores, apenas “estão mais baratas no comparativo com outras cidades globais“.

O estudo compara os preços médios de 160 bens de consumo diário e serviços. Foram pesquisados valores de alimentos, bebidas, aluguel, roupas, utensílios domésticos e transporte em 131 cidades espalhadas pelo mundo, baseados no dólar dos Estados Unidos; veja o top 10:

Cidades mais caras do mundo em 2013 | maior custo de vida

1. Tóquio (Japão)

Tóquio - líder entre as cidades mais caras do mundo para se viver
Pão de forma: US$ 9,06
Litro de leite: US$ 2,93
Garrafa de vinho de mesa: US$ 15,95
Jantar para 4 pessoas com vinho em restaurante de alto padrão: US$ 1,266.30

2. Osaka (Japão)

Osaka
Pão de forma: US$ 7,94
Litro da gasolina: US$ 1,96
Garrafa de vinho: US$ 17,55
Jantar para 4 pessoas: US$ 915,32

3. Sydney (Austrália)

Sydney
Pão de forma: US$ 5,03
Maço de cigarro de marca famosa: US$ 15,48
Garrafa de vinho: US$ 25,38
Jantar para 4 pessoas: US$ 731,96

4. Oslo (Noruega)

Oslo
Pão de forma: US$ 6,31
Maço de cigarro de marca famosa: US$ 15,24
Litro de leite: US$ 2,58
Jantar para 4 pessoas: US$ 813,36

4. Melbourne (Austrália)

Melbourne
Pão de forma: US$ 4,87
Litro de leite: US$ 2,00
Garrafa de vinho: US$ 25,03
Jantar para 4 pessoas: US$ 794,85

6. Cingapura

Cingapura
Pão de forma: US$ 3,25
Litro de leite: US$ 2,86
Garrafa de vinho: US$ 25,65
Jantar para 4 pessoas: US$ 503,76

7. Zurique (Suíça)

Zurique
Pão de forma: US$ 6,08
Maço de cigarro de marca famosa: US$ 8,32
Garrafa de vinho: US$ 16,74
Jantar para 4 pessoas: US$ 1,394,74

8. Paris (França)

Paris
Pão de forma: US$ 8,95
Litro de leite: US$ 2,55
Maço de cigarro de marca famosa: US$ 8,10
Jantar para 4 pessoas: US$ 2,177,22

9. Caracas (Venezuela)

Caracas
Pão de forma: US$ 9,40
Litro de leite: US$ 2,73
Maço de cigarro de marca famosa: US$ 7,30
Jantar para 4 pessoas: US$ 910,26

10. Genebra (Suíça)

Genebra
Pão de forma: US$ 5,63
Litro de leite: US$ 1,42
Garrafa de vinho: US$ 8,19
Jantar para 4 pessoas: US$ 1,447,37

Em outro ranking de cidades mais caras da, feito pela financeira suíça UBS tem informações bem interessantes também. É possível saber que Tóquio foi classificada por eles como a cidade mais cara para se comer, seguida por Genebra e Zurique. Neste caso eles coletaram preços de um pacote com 39 produtos alimentícios que em Tóquio custou US$ 928. Em Genebra o preço foi de US$ 715 e em Zurique, US$ 704.

Já em relação a salários, a norueguesa Oslo foi classificada em quarto lugar enquanto no topo aparecem Zurique, Sydney e Luxemburgo. Para exemplificar, em Zurique o trabalhador consegue comprar um iPhone após 22 horas de trabalho. As cidades indianas Delhi e Mumbai pagam os piores salários. Os valores médios são equivalem a 6% do que ganha um trabalhador da Suíça Zurique.

Abaixo você poderá conferir outras duas listagens de cidades mais caras. A primeira é do site de viagens TripAdvisor que avaliou, em 48 países entre os 50 que mais receberam turistas no ano passado, o custo para uma noite em hotel quatro estrelas, coquetel e jantar para duas pessoas e percurso de ida e volta de táxi, numa distância equivalente em todas as cidades pesquisadas. Veja o resultado:

Cidades mais caras para conhecer – 2012

Londres

Londres, líder entre as cidades mais caras do mundo para os turistas

  • #1. Londres: US$ 518,01 (hotel, coquetel, jantar e táxi)
  • #2. Oslo: US$ 499.91
  • #3. Zurique: US$ 485.82
  • #4. Paris: US$ 480.76
  • #5. Estocolmo: US$ 472.36
  • #6. Nova York: US$ 456.50
  • #7. Moscou: US$ 429.07
  • #8. Copenhagen: US$ 426.84
  • #9. Sydney: US$ 392.00
  • #10. Cingapura: US$ 374.94

A segunda e mais elaborada lista das cidades mais caras é da consultoria Mercer, com base em 214 cidades analisadas, tomando como referência os preços de Nova York. Este é o levantamento oficial utilizado por empresas multinacionais para calcular os custos com transferências de funcionários entre os países.

Foram mais de 200 itens cotados, como por exemplo, valores médios de aluguel, alimentação, transporte, vestuário e entretenimento.

Neste ranking, São Paulo e Rio de Janeiro, 12ª e 13ª colocadas respectivamente, foram apontadas como as mais caras das Américas, deixando para trás Nova York, a mais cara dos EUA, que aparece apenas na 33ª colocação. Veja o top 10 e programe sua futura moradia:

Cidades mais caras para se viver – Mercer

Tóquio

Tóquio, a cidade mais cara para se viver em 2012

  • #1. Tóquio (Japão)
  • #2. Luanda (Angola)
  • #3. Osaka (Japão)
  • #4. Moscou (Rússia)
  • #5. Genebra (Suíça)
  • #6. Zurique (Suíça)
  • #7. Cingapura
  • #8. N’Djamena (Chade)
  • #9. Hong Kong (China)
  • #10. Nagoya (Japão)

Já para a consultoria britânica ECA, que foca seus estudos no custo de vida para quem escolhe trocar de país para trabalhar, Tóquio é a cidade mais cara do mundo. O Rio aparece como mais cara que São Paulo; 31ª e 36ª colocadas, respectivamente.

Confira o top 10 da ECA, que avalia o custo médio do consumo de bens e serviços em mais de 400 cidades.

Cidades mais caras para trabalhar – 2012

  • #1. Tóquio (Japão)
  • #2. Oslo (Noruega)
  • #3. Nagóia (Japão)
  • #4. Luanda (Angola)
  • #5. Stavanger (Noruega)
  • #6. Yokohama (Japão)
  • #7. Genebra (Suíça)
  • #8. Kobe (Japão)
  • #9. Zurique (Suíça)
  • #10. Berna (Suíça)

Cidades mais poluídas do Brasil e do mundo

Estudo inédito da Organização Mundial da Saúde (OMS) em mais de 1100 cidades em todo o mundo constata que o ar do Rio de Janeiro é mais poluído do que o de São Paulo. A grande Rio de Janeiro, ou seja, a área metropolitana, é a 144ª região mais poluída do mundo. A Grande São Paulo ficou na 268ª posição.

Cidades mais poluídas do Brasil e do Mundo

No ranking de países o Brasil é o 44º, perdendo para os países do Leste Europeu, taxados de ter indústrias obsoletas herdadas da antiga União Soviética, segundo reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo. O país ostenta também a triste 9ª posição quando se mede o ranking de mortes provocadas por problemas respiratórios.

A OMS recomenda um máximo de 20 microgramas para cada metro cúbico de ar. O Rio tem 64 microgramas enquanto São Paulo apresentou 38 microgramas por metro cúbico de ar.

Isto porém não vai atrapalhar em nada os atletas que disputarão as Olimpíadas de 2016 já que Pequim apresenta um índice seis vezes maior do que a região fluminense.

As cidades/regiões de grande porte menos poluídas do Brasil são Curitiba (29 microgramas) e Belo Horizonte, que juntamente com algumas regiões do interior de São Paulo apresenta taxas abaixo do teto da OMS de 20 microgramas.

Veja o ranking das cidades/regiões mais poluídas

  • 1º. País: Irã | Cidade/Região: Ahwaz (372 microgramas)
  • 2º. País: Mongólia | Cidade/Região: Ulaanbaatar (279 microgramas)
  • 3º. País: Irã | Cidade/Região: Sanandaj (254 microgramas)
  • 4º. País: Índia | Cidade/Região: Ludhiana (251 microgramas)
  • 4º. País: Paquistão | Cidade/Região: Quetta (251 microgramas)
  • 6º. País: Irã | Cidade/Região: Kermanshah (229 microgramas)
  • 7º. País: Paquistão | Cidade/Região: Peshawar (219 microgramas)
  • 8º. País: Botswana | Cidade/Região: Gaborone (216 microgramas)
  • 9º. País: Irã | Cidade/Região: Yasouj (215 microgramas)
  • 10º. País: Índia | Cidade/Região: Kanpur (209 microgramas)

Cidades/regiões mais poluídas do Brasil

  • 144º. Região Metropolitana do Rio de Janeiro: 64 microgramas
  • 204º. Região de Cubatão: 48 microgramas
  • 267º. Região de Campinas: 39 microgramas
  • 268º. Região Metropolitana de São Paulo: 38 microgramas
  • 360º. Região Metropolitana de Curitiba: 29 microgramas

O Rio é a cidade mais poluída do Brasil; é o que apontou estudo do Instituto Internacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, junto ao Bando Mundial. Não perca nosso outro post sobre as cidades com a melhor qualidade de vida do Brasil, afinal, notícia boa também faz bem.

De volta ao estudo, tomando como base as emissões per capita de 100 cidades em 33 países. O Brasil foi representado por Goiânia, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. O Rio é a metrópole que mais emite gases de efeito estufa com 2,1 toneladas por habitante ao ano. Porto Alegre aparece em seguida com 1,48 toneladas por habitante e depois São Paulo com 1,40.

No topo do ranking mundial está Roterdã na Holanda, com 29,8 toneladas por habitante/ano, seguida por Denver nos Estados Unidos e Sidney na Austrália.

O estudo revelou que as metrópoles brasileiras emitem cerca de um décimo de gases de efeito estufa comparadas com grandes cidades norte-americanas como Washington e Denver.

Grandes cidades têm sido responsabilizadas por contribuir com o aquecimento global. Mas muitas delas têm emissões per capita baixas, mesmo com elevado grau de urbanização e consumo de seus habitantes”, afirmou Daniel Hoornweg, autor do estudo e especialista em urbanismo do Banco Mundial.

Exemplos são algumas cidades europeias como Paris (5,2 toneladas por habitante ao ano), o que é menos da metade de Shangai, China com 11,7 toneladas/habitante.

O estudo revela que emissões urbanas per capita refletem a estrutura econômica das metrópoles. Cidades com indústrias pesadas, o uso massivo do transporte individual e a energia gerada por carvão vai produzir mais emissões do que uma cidade de economia baseada em serviços e com uma boa infraestrutura no transporte público além de energia produzida em hidrelétricas.

Top 10 cidades mais visitadas do mundo e da América Latina

São Paulo lidera ranking das cidades mais visitadas da América Latina, além de liderar o ranking de crescimento de faturamento em todo o mundo. É o que mostra estudo divulgado pela Mastercard que analisou as 132 cidades mais visitadas do planeta.

O crescimento de visitação da capital paulista em 2011 será de 30% e o faturamento com turistas será de 3,1 bilhões de dólares. Em segundo lugar no quesito faturamento está a capital argentina Buenos Aires, com US$ 3 bilhões. Confira:

Museu do Ipiranga em São Paulo

Cidades mais visitadas da América Latina:

  • 1. São Paulo (Brasil)
  • 2. Cidade do México (México)
  • 3. Buenos Aires (Argentina)
  • 4. Lima (Peru)
  • 5. Bogotá (Colômbia)
  • 6. San José (Costa Rica)
  • 7. Santo Domingo (República Dominicana)
  • 8. Rio de Janeiro (Brasil)
  • 9. Caracas (Venezuela)
  • 10. Quito (Equador)

No quesito visitantes por eventos internacionais na América Latina, a capital paulista aparece em segundo lugar atrás apenas de Buenos Aires, de acordo com a International Congress & Convention Association (ICCA).

Foto: André Stefano/Prefeitura Municipal de SP

As 20 cidades mais visitadas do mundo

Londres é a cidade preferida por turistas de outros países. É o que mostra o MasterCard Global Destination Cities Index 2012. O ranking anual avalia quais os destinos que recebem mais visitantes internacionais. E o relatório mostra também que apesar das inúmeras crises financeiras, o número de turistas não para de crescer. Londres sozinha recebeu mais visitantes internacionais que as 10 cidades mais visitadas da América Latina juntas. A economia da capital inglesa agradece, afinal os turistas estrangeiros deixaram US$ 21,1 bilhões na cidade. Veja quais são as 20 cidades que recebem o maior número de visitantes estrangeiros:

1. Londres (16,9 milhões de visitantes)

Londres

2. Paris (16 milhões de visitantes)

3. Bangkok (12,2 milhões de visitantes)

4. Cingapura (11,8 milhões de visitantes)

5. Istambul (11,6 milhões de visitantes)

6. Hong Kong (11,1 milhões de visitantes)

7. Madri (9,7 milhões de visitantes)

8. Dubai (8,8 milhões de visitantes)

9. Frankfurt (8,1 milhões de visitantes)

9. Kuala Lampur (8,1 milhões de visitantes)

11. Seul (8 milhões de visitantes)

12. Roma (7,8 milhões de visitantes)

13. Nova York (7,6 milhões de visitantes)

14. Xangai (7,5 milhões de visitantes)

15. Barcelona (7,3 milhões de visitantes)

16. Milão (7,1 milhões de visitantes)

17. Amsterdã (6,9 milhões de visitantes)

18. Viena (6,7 milhões de visitantes)

19. Pequim (6,2 milhões de visitantes)

20. Taipei (5,4 milhões de visitantes)

Países mais desenvolvidos e mais ricos do mundo

O ranking dos países mais desenvolvidos do mundo se baseia no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), usado pela ONU para classificar os países como desenvolvidos, em desenvolvimento e subdesenvolvidos. Os critérios para isso são: expectativa de vida, educação e PIB per capita. A cada ano a ONU divulga a lista atualizada.

E o Brasil? Bem, o Brasil figura na 84ª posição do IDH. Não é difícil entender os motivos para isso. O que esperar de um país cujo governo arrecada, apenas com o famigerado IPVA, 25 bilhões por ano e tem suas ruas e grande maioria das estradas cobertas por buracos e serviços porcos de manutenção? 2,5 trilhões de PIB e as escolas, hospitais e transporte público jogados às traças?

Oslo

Países mais desenvolvidos 2012 – IDH

  • 1º. Noruega
  • 2º. Austrália
  • 3º. Holanda
  • 4º. Estados Unidos
  • 5º. Nova Zelândia
  • 6º. Canadá
  • 7º. Irlanda
  • 8º. Liechtenstein
  • 9º. Alemanha
  • 10º. Suécia

Segurança pública precária e números de guerra civil. Visto que em 2010 mais de 40 mil pessoas foram assassinadas, comparado aos 14 mil homicídios nos EUA com seus 300 milhões de habitantes (contra os 200 milhões de brasileiros).

Enfim, enquanto os milionários e bilionários ficarem cada vez mais ricos e a chamada “classe média” se contentar em poder comprar seu carro em 60 meses, sem contar os móveis e eletrodomésticos parcelados em 12 ou 24 vezes, os políticos poderão continuar a roubar seus bilhões tranquilamente. Nada muda.

10 países mais ricos do mundo 2012

Não que esta métrica reflita a realidade absoluta, afinal o Qatar e os Emirados Árabes, assim como o Brasil, são ricos em petróleo, o que infla bastante o PIB. Ou você acha que a maioria dos brasileiros ganha mais de 13 mil dólares (cerca de R$ 26 mil na cotação de hoje) por ano? Longe disso, infelizmente.

  • #1. Luxemburgo – US$ 113.533
  • #2. Qatar – US$ 98.329
  • #3. Noruega – US$ 97.254
  • #4. Suíça – US$ 81.160
  • #5. Emirados Árabes – US$ 67.007
  • #6. Austrália – US$ 65.477
  • #7. Dinamarca – US$ 59.928
  • #8. Suécia – US$ 56.956
  • #9. Canadá – US$ 50.435
  • #10. Holanda – US$ 50.355
  • #14.EUA – US$ 48.386
  • #18.Japão – US$ 45.920
  • #20.Alemanha – US$ 43.741
  • #22.Reino Unido – US$ 38.592
  • #25.Itália – US$ 36.266
  • #54. BRASIL – US$ 12.986

Fundo Monetário Internacional (FMI) e IBGE

Lembrando que os dados dos países mais ricos do mundo, com base no PIB per capta, foram atualizados em 4 de junho de 2012.

Países com os melhores salários – 2012

Brasil aparece na 51ª colocação em ranking dos países com os melhores salários, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Os ganhos mensais dos brasileiros são de US$ 778 (cerca de 1.400 reais, tomando como base a cotação de R$ 1,80). Os trabalhadores com os melhores salários estão em Luxemburgo, com mais de 4 mil dólares por mês.

Luxemburgo

O estudo analisou 72 países e constatou que o salário médio mundial dos trabalhadores é de R$ 2,7 mil ( o equivalente a US$ 18 mil por ano). Veja o ranking.

  • 1. Luxemburgo US$ 4.089
  • 2. Noruega US$ 3.678
  • 3. Áustria US$ 3.437
  • 4. EUA US$ 3.263
  • 5. Reino Unido US$ 3.065
  • 6. Bélgica US$ 3.035
  • 7. Suécia US$ 3.023
  • 8. Irlanda US$ 2.997
  • 9. Finlândia US$ 2.925
  • 10. Coreia do Sul US$ 2.903

Países com os piores salários do mundo:

  • 63. Armênia US$ 471
  • 64. República Dominicana US$ 462
  • 65. Moldávia US$ 438
  • 66. Mongólia US$ 415
  • 67. Síria US$ 364
  • 68. Quirguistão US$ 336
  • 69. Índia US$ 295
  • 70. Filipinas US$ 279
  • 71. Paquistão US$ 255
  • 72. Tajiquistão US$ 227

Países com mais Petróleo:

Veja a lista dos países que mais possuem e mais produzem petróleo no mundo, segundo dados da Forbes e da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Os números da Forbes foram divulgados em agosto de 2011, já os dados da ANP se referem a toda produção de 2010. Confira:

Petróleo

  • #1. Arábia Saudita – Produção: 9.7 milhões de barris por dia
  • #2. Canadá – 178.1 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #3. Irã – 136,2 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #4. Iraque – 115 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #5. Venezuela – 99.4 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #6. Emirados Árabes Unidos – 97.8 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #7. Rússia – 60 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #8. Líbia – 43.7 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #9. Nigéria – 36.2 bilhões de barris de reservas comprovadas
  • #10. Kuwait – Produção: 2.4 milhões de barris por dia

Este mega post reúne diversos rankings que definem as cidades mais caras do mundo em diversos critérios. Sempre que as consultorias divulgarem novos dados este artigo será prontamente atualizado.

Paulistano, atuou como designer de 1993 a 2008 quando começou o Curiosando, onde aborda diversos temas, além da cobertura do Miss Brasil desde 2010.

12 Comentários

  1. Leila Barci

    30 de janeiro de 2014 at 2:47 AM

    Interessante…..

  2. ana b

    19 de maio de 2011 at 12:08 PM

    Pindamonhangaba aqui o/

  3. rodrigo silva soares

    3 de fevereiro de 2010 at 1:10 PM

    eu acho que campos dos goitacazes e a cidade que tem omaior numeros de bicicletas

    • carol

      13 de setembro de 2010 at 10:27 AM

      é ta serto

  4. Marco Antonio Rodrigues

    2 de setembro de 2009 at 9:09 PM

    Esta lista já é conhecida.
    Eu gostaria de saber se algum ozoriano(é assim?), de Ozório-RS pode me responder se paga menos pela energia?????????????????????????????

  5. The Best

    10 de abril de 2009 at 3:05 PM

    Já que me chamaram a conversa ,,, vamos lá.

    Meu tratamento é feito parte no plano de saude e parte no SUS e rede pública. Hoje, eu não tenho o que reclamar da parte que é feita na rede pública, pois os médicos e fisioterapeutas são super dedicados e a atenção dispensada por eles imensuravel.

    Quanto a rede de atendimento pública de niteroi, posso dizer que, em relação ao Rio de Janeiro (que é a outra que conheço), é muito (mas muito mesmo) melhor. Tanto no atendimento dos postos de saúde, que são mais organizados, tem médicos e atendem de acordo com a demanda da área de localização.

    Eu moro em niteroi a 1 ano e meio somente. Para se ter ideia da diferença da saude pública entre cidades tão proximas, posso citar um caso que aconteceu comigo. No Rio fiquei tentando atendimento em fisioterapia durante 2 anos e não consegui, em niteroi com 2 meses residindo me encaminharam para uma clinica que presta serviços de fisitorapia. Tudo bem que não consegui nos centros de referencia, mas se comparado com os 2 anos que não teria nada foi bem melhor.

    The Best postou em seu site..Plugin IE6 Army para wordpress – Adesão a campanha “Pare o IE6″

  6. Nacir Sales

    10 de abril de 2009 at 12:21 PM

    Rodrigo,

    Niterói tem 1 médico para cada 94 pessoas e o Hospital Antônio Pedro esta longe de ser qualquer coisa que eu consiga qualificar em tom de elogio, nem a cidade é referência em gestão de saúde: ao contrário é uma bagunça fluminense.
    (para falar de Niterói com propriedade vamos pedir a ajuda do Luis Ricardo do http://www.thebest.blog.br/ )
    Nada contra psicólogos nem contra a cidade de Assis, onde encontramos 1 psicólogo para cada 48 habitantes. A concentração de psicólogos em Assis é bem maior que a de médicos em Niterói.
    Em Niterói quantidade não se traduziu em qualidade. E em Assis?
    O tema merece um estudo de cunho socio-psicológico: qual o impacto da enorme exposição da população de Assis à população de psicólogos? Alguém se aventura a esta pesquisa?

    Nacir Sales postou em seu site..Existe Vida Após a Crise?

  7. Cristiano

    3 de fevereiro de 2009 at 11:08 AM

    muito interessane tudo isso.

    Cristiano postou em seu site..Crepúsculo – Stephenie Meyer

  8. Jorge Luiz Nicolini

    19 de janeiro de 2009 at 11:50 PM

    Na verdade qual a melhor cidade brasileira? se eh que ela existe. Quem procura seguranca,saneamento,educacao,saude,transporte e lazer. Temos alguma cidade que esteja bem nesses quisitos juntos? Qual a Zurique brasileira?

    • Ramir

      17 de junho de 2010 at 2:37 AM

      Sonha Alice

      • alvaro

        29 de setembro de 2010 at 11:15 AM

        Assis…certeza

  9. veranisio souto barros

    24 de agosto de 2008 at 12:16 PM

    parabens exedlentes informações

Responder

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>