Em reportagem publicada na revista Veja, foram destacados 40 dos 5.564 municípios brasileiros que possuem indicadores sociais comparáveis aos de países desenvolvidos, como a Itália, por exemplo.

Esta pesquisa, pode-se dizer, define quais são as melhores cidades para se viver no Brasil, para os diversos fins. O artigo é apenas um resumo baseado numa única pesquisa. Porém, ela levou em conta critérios como qualidade de vida, segurança, internet, reciclagem de lixo, leitos hospitalares etc.

Portanto, tem quem busca uma cidade rica em hospitais ou quem faz questão de ter o lixo 100% reciclado. As melhores cidades são muitas, depende do que você procura.

Vale a pena conferir e ver também, na continuação deste post, as melhores cidades do mundo (em estudo divulgado em fevereiro de 2016) e os países mais seguros do mundo, já que infelizmente o Brasil lidera o ranking mundial em número de assassinatos.

Os melhores lugares para morar 2015

Se você pensa em sair do Brasil em busca de qualidade de vida seu lugar é a Suíça. O país ficou na primeira colocação em uma pesquisa realizada lodos os anos pelo HSBC, chamada “Expat Explorer”. Mais de 9.300 expatriados de todo o planeta foram entrevistas. As questões eram sobre qualidade de vida, bem-estar financeiro e as facilidades de criar uma família em seu novo lar, num novo país. O estudo abrangeu 34 países.

E não foi só nesta pesquisa que a Suíça levou a melhor. O relatório do “Expat Insider”, realizado pelo site InterNations entrevistou expatriados de 61 países, para saber sobre finanças pessoais e facilidade de adaptação no país escolhido. Não deu outra, a Suíça mais uma vez ficou com o primeiro lugar no quesito qualidade de vida.

Suíça
Suíça, um dos melhores lugares do mundo para se morar

Agora vem a surpresa: o Equador, isso mesmo, Equador liderou a lista do InterNations como o melhor destino para expatriados em geral. O relatório apontou que os expatriados estão muito satisfeitos com a situação financeira por lá, além da facilidade de adaptação e de fazer novos amigos.

A Ásia não ficou de fora. 76% dos entrevistados na pesquisa da HSBC disseram que têm mais dinheiro sobrando desde que chegaram na China. Hong Kong e Cingapura também figuram no top 10 das duas pesquisas, com destaque para o quesito qualidade de vida. Veja os melhores países para se morar:

Suíça
Classificação HSBC: 1
Classificação InternNations: 4

Cingapura
Classificação HSBC: 2
Classificação InternNations: 6

Alemanha
Classificação HSBC: 4
Classificação InternNations: 12

Nova Zelândia
Classificação HSBC: 6
Classificação InternNations: 16

Hong Kong
Classificação HSBC: 10
Classificação InternNations: 10

Canadá
Classificação HSBC: 11
Classificação InternNations: 14

Austrália
Classificação HSBC: 12
Classificação InternNations: 9

México
Classificação HSBC: 21
Classificação InternNations: 3

Espanha
Classificação HSBC: 24
Classificação InternNations: 7

Tailândia
Classificação HSBC: 7
Classificação InternNations: 22

As Melhores Cidades do Brasil

O maior índice de área verde
Goiânia, com 0,8 árvore e 94 metros quadrados de matas por habitante.

A que tem o melhor IDH
São Caetano do Sul (SP). O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), mede a qualidade de vida com base em: renda per capita, alfabetização e expectativa de vida.

A cidade mais segura
Maringá, no Paraná. Seus índices de criminalidade são comparáveis aos de Amsterdã, na Holanda, com taxa de homicídios de 7,9 para cada 100 mil pessoas.

A cidade com a maior cobertura wireless
Três cidades brasileiras têm cobertura 100% wireless (até 2008): Parintins (Amazonas), Piraí (Rio de Janeiro) e Sud Mennucci (São Paulo).

A cidade mais informatizada
Brasília tem o maior porcentual de domicílios com acesso a aparelhos de tecnologia de informação e comunicação.

Sustentabilidade: a maior produtora de energia eólica
Osório (Rio Grande do Sul). Seus 75 cata-ventos formam o maior parque eólico da América Latina, fornecendo energia a seus 40 mil habitantes, mais 650 mil em Porto Alegre.

A cidade que mais recicla
Pindamonhangaba (SP), que sedia a maior empresa de reciclagem do planeta, a Novelis.

A maior fabricante de lingerie
Nova Friburgo (RJ), é sede de 900 confecções de roupa íntima.

O maior exportador de peixes
O município amazonense de Barcelos.

A maior produtora de café
Patrocínio (MG). 42 mil toneladas de café são colhidas lá.

A maior exportadora de sapatos
Sobral (CE). O Ceará produz 37% dos sapatos exportados pelo país. Sobral responde por 45% desse montante.

A maior produtora mundial de suco de laranja
Itápolis (SP), produz 710 mil toneladas de laranja por ano.

A maior fabricante mundial de etiquetas
Blumenau (SC), é a líder mundial na produção de etiquetas. O segmento fatura cerca de 500 milhões de reais por ano.

A maior fabricante mundial de lápis
São Carlos (SP), é responsável por 40% da produção nacional, com 1,8 bilhão de unidades por ano.

Educação e cultura: a mais alfabetizada
São João do Oeste (SC), onde menos de 1% da população com mais de 15 anos é analfabeta. A taxa é semelhante à do Japão.

A maior freqüência escolar
Orindiúva (SP), ficou com o primeiro lugar no ranking de responsabilidade fiscal e social elaborado pela Confederação Nacional dos Municípios. Conquista semelhante à da Finlândia.

A cidade das artes plásticas
Olinda, na região metropolitana do Recife tem a maior proporção de artistas por metro quadrado do Brasil.

A cidade onde mais se lê
Passo Fundo (RS). São lidos em média, 6,5 livros por ano — um índice próximo ao francês e mais de três vezes superior ao brasileiro.

A única totalmente branca
Montauri (RS), onde todos os 1 583 habitantes contados em 2007 pelo IBGE são caucasianos.

A maior proporção de negros
Riacho Frio, no sul do Piauí. 62% da população. Outros 18% são pardos.

O maior número de índios urbanos
Manaus, poderia ser declarada como a cidade com a quinta maior reserva do país.

Religião: a mais evangélica
Quinze de Novembro (RS), onde 80% dos 3 600 habitantes se denominam protestantes.

A mais incrédula
Nova Ibiá, na zona cacaueira da Bahia, onde 60% dos habitantes declaram não ter religião.

A mais muçulmana
Chuí (RS), onde 3% dos 5 200 habitantes se declaram muçulmanos. É o suficiente para que ela seja considerada a cidade com a maior proporção de seguidores dessa religião no país.

Saúde: a maior proporção de idosos
São Paulo. 9% da sua população é de pessoas com mais de 60 anos. Ao todo, são 970 mil cidadãos. A maioria deles em bairros nobres, como Higienópolis e Jardins.

A maior proporção de médicos
Niterói (RJ) tem 1 médico para cada 94 pessoas.

A menor mortalidade infantil
Janaúba (MG) registra apenas 4,1 óbitos por cada 1 000 nascidos. A média nacional é de 25 óbitos por 1 000 nascidos.

O melhor sistema de saúde
Santa Cruz do Sul (RS), mais conhecida como a capital do fumo, abriga o maior complexo beneficiador de fumo da América Latina, mas gasta 30% do seu orçamento com saúde. A cobertura do sistema público alcança 90% da população.

A maior concentração de psicólogos
Assis (SP), tem 1 psicólogo para cada 48 habitantes.

A maior proporção de vegetarianos
Florianópolis (SC). 1 em cada 7 mil habitantes é vegetariano.

A maior população de hippies
A aldeia de Arembepe em Camaçari (BA), tem a maior concentração de hippies do país: setenta adultos e crianças, que sobrevivem da venda de artesanato.

A capital do divórcio
Campo Grande (MS), é a cidade que registra a maior proporção de divórcios no país.

A maior proporção de bares
Belo Horizonte (MG) tem 10 mil estabelecimentos desse tipo (um para cada 240 habitantes).

A maior proporção de bicicletas
Afuá, no Pará. A cidade foi construída sobre palafitas e seus habitantes usam pontes de madeira, que suportam pouco peso para se deslocar. Por causa dessas características, Afuá criou o bicitáxi, um riquixá movido a pedaladas.

A capital das piscinas
São José do Rio Preto (SP) tem uma para cada 565 cidadãos.

O maior número de motos
A amazonense Tabatinga.

O centro da culinária caprina
Petrolina (PE), no Vale do São Francisco. Em seus dez restaurantes e 22 quiosques, pode-se degustar iguarias como a pizza e o sushi de bode, além, é claro, da clássica buchada.

O principal destino do turismo de lazer
São Paulo é a cidade que mais recebe estrangeiros, mas a maioria vem para fazer negócios. O Rio de Janeiro é o destino de 30% dos estrangeiros que buscam diversão no Brasil.

A maior corrida de jegues
Panelas, no agreste pernambucano, onde é disputada a maior corrida de jumentos do mundo. A última edição contou com 90 animais.

A maior receptora de cruzeiros marítimos
Búzios (RJ).

Melhores cidades do mundo em 2016

A ‘Mercer’, consultoria global de recursos humanos, divulgou um estudo que analisou 440 cidades em todo o mundo. Daí nasceu uma lista de 230 cidades e então um top 10 das melhores para se viver.

Para se chegar ao resultado foram analisados fatores como condições econômicas, saúde, educação, moradia, sociais e meio ambiente. E as grandes vencedoras foram:

1º – Viena (Áustria)
2º – Zurique (Suíça)
3º – Auckland (Nova Zelândia)
4º – Munique (Alemanha)
5º – Vancouver (Canadá)
6º – Dusseldorf (Alemanha)
7º – Frankfurt (Alemanha)
8º – Genebra (Suíça)
9º – Copenhague (Dinamarca)
10º – Sydney (Austrália)

Melhores cidades da América Latina

78º. Montevidéu (Uruguai)
93º. Buenos Aires (Argentina)
94º. Santiago (Chile)

Melhores cidades do Brasil

106º. Brasília
117º. Rio de Janeiro
121º. São Paulo
125º. Manaus

Países mais seguros do mundo

O relatório Global Peace Index, publicado anualmente pelo ‘Institute for Economics and Peace’, analisa a segurança em 162 países.

Islândia País mais seguro
Islândia, o lugar mais seguro do mundo para se viver

Os critérios são número de assassinatos, número de armas em circulação e quantidade de população carcerária. Em 2015 o ranking das nações mais seguras do planeta são:

#1. Islândia
#2. Dinamarca
#3. Áustria
#4. Nova Zelândia
#5. Suíça
#6. Finlândia
#7. Canadá
#8. Japão
#9. Austrália
#10. República Tcheca

Este post das melhores cidades do Brasil e do Mundo será atualizado à medida que novos estudos forem divulgados.

  • Caio

    Engraçado é que o país dos Vikings, a Islândia, famosos por serem brutos e violentos, é o país mais seguro do mundo.

  • ana b

    Pindamonhangaba aqui o/

  • rodrigo silva soares

    eu acho que campos dos goitacazes e a cidade que tem omaior numeros de bicicletas

    • carol

      é ta serto

  • Esta lista já é conhecida.
    Eu gostaria de saber se algum ozoriano(é assim?), de Ozório-RS pode me responder se paga menos pela energia?????????????????????????????

  • Já que me chamaram a conversa ,,, vamos lá.

    Meu tratamento é feito parte no plano de saude e parte no SUS e rede pública. Hoje, eu não tenho o que reclamar da parte que é feita na rede pública, pois os médicos e fisioterapeutas são super dedicados e a atenção dispensada por eles imensuravel.

    Quanto a rede de atendimento pública de niteroi, posso dizer que, em relação ao Rio de Janeiro (que é a outra que conheço), é muito (mas muito mesmo) melhor. Tanto no atendimento dos postos de saúde, que são mais organizados, tem médicos e atendem de acordo com a demanda da área de localização.

    Eu moro em niteroi a 1 ano e meio somente. Para se ter ideia da diferença da saude pública entre cidades tão proximas, posso citar um caso que aconteceu comigo. No Rio fiquei tentando atendimento em fisioterapia durante 2 anos e não consegui, em niteroi com 2 meses residindo me encaminharam para uma clinica que presta serviços de fisitorapia. Tudo bem que não consegui nos centros de referencia, mas se comparado com os 2 anos que não teria nada foi bem melhor.

    The Best postou em seu site..Plugin IE6 Army para wordpress – Adesão a campanha “Pare o IE6″

  • Rodrigo,

    Niterói tem 1 médico para cada 94 pessoas e o Hospital Antônio Pedro esta longe de ser qualquer coisa que eu consiga qualificar em tom de elogio, nem a cidade é referência em gestão de saúde: ao contrário é uma bagunça fluminense.
    (para falar de Niterói com propriedade vamos pedir a ajuda do Luis Ricardo do http://www.thebest.blog.br/ )
    Nada contra psicólogos nem contra a cidade de Assis, onde encontramos 1 psicólogo para cada 48 habitantes. A concentração de psicólogos em Assis é bem maior que a de médicos em Niterói.
    Em Niterói quantidade não se traduziu em qualidade. E em Assis?
    O tema merece um estudo de cunho socio-psicológico: qual o impacto da enorme exposição da população de Assis à população de psicólogos? Alguém se aventura a esta pesquisa?

    Nacir Sales postou em seu site..Existe Vida Após a Crise?

  • muito interessane tudo isso.

    Cristiano postou em seu site..Crepúsculo – Stephenie Meyer

  • Jorge Luiz Nicolini

    Na verdade qual a melhor cidade brasileira? se eh que ela existe. Quem procura seguranca,saneamento,educacao,saude,transporte e lazer. Temos alguma cidade que esteja bem nesses quisitos juntos? Qual a Zurique brasileira?

    • Ramir

      Sonha Alice

      • alvaro

        Assis…certeza

  • veranisio souto barros

    parabens exedlentes informações