Quais as melhores (e piores) empresas de hospedagem de sites? Obviamente só posso opinar sobre aquelas que já usei, então eis um resumo sobre todas que hospedaram o Curiosando desde 2008, quando foi criado.

E aviso que as empresas citadas não são as melhores. São apenas as que já conheço. Aliás, devo dizer que Locaweb e UOL Host jamais poderiam estar num ranking de melhores, se é que você me entende…

Na maioria das vezes, principalmente quando começamos a trabalhar com internet, não damos a devida atenção ao contratar a empresa de hospedagem.

Mas faça um favor a si mesmo e pesquise o assunto como se estivesse em busca de uma casa que servirá de sede para sua empresa.

Você quer saber quantas vagas de estacionamento estarão disponíveis para seus clientes, quer saber se o espaço comporta bem todos os que trabalham com você, se os equipamentos terão um local adequado etc.

É exatamente a mesma coisa no caso da hospedagem. É preciso saber quanto espaço terá para os arquivos do site. Se o site tem muitas fotos, o espaço precisa ser maior. Precisa saber se a empresa de hospedagem sabe trabalhar bem com a plataforma que vai utilizar, seja ela WordPress, Joomla…

Deve saber o limite de transferência mensal, que é maior em um site com muitas fotos, e assim por diante. Não escolha a mais conhecida. Escolha a que for melhor para o seu projeto.

Neste post optei por não colocar o link das empresas, pois não se trata de recomendações sobre quais as melhores ou piores empresas de hospedagem e sim de um relato da experiência que tive com o próprio Curiosando.

Empresas de hospedagem de Sites

Hospedagem 1: Locaweb

Quando comecei o site, em maio de 2008, procurei o mais simples. Não queria perder tempo estudando detalhes de empresas de hospedagem, apenas escolhi a Locaweb por ser a mais conhecida na época (exatamente o contrário do que recomendei no início deste texto; a vida ensina).

Devo dizer que no geral não tive problemas, a não ser tentar adaptar recursos do WordPress, plataforma que uso para o site, ao plano contratado. Ao invés de escolher um plano Linux (linguagem perfeitamente compatível com o WordPress) assinei um plano Windows, por falta de experiência, o que me fez recorrer a plugins para acertar detalhes técnicos. Portanto, se você pretende iniciar um site em WordPress escolha um plano de hospedagem Linux.

Os problemas começaram cerca de um ano depois da contratação. O aumento da audiência fez com que quedas de servidor se tornassem frequentes, e como única alternativa me foi oferecido um plano que custava mais de três vezes o que eu pagava na época. Recusei e optei por sair. Solicitei o cancelamento, via internet mesmo, e a conta foi cancelada sem maiores problemas, como deve ser.

Hospedagem 2: UOL Host

Aqui cometi meu maior erro. Migrei para a UOL Host, por já usar um e-mail deles, preferi continuar concentrado em produzir conteúdo no site ao invés de estudar um pouco mais sobre o assunto hospedagem. Fui prático.

Tive de fazer a migração por conta própria. Quando abria um chamado, que nada mais é do que enviar uma mensagem para o suporte, a demora sempre foi grande e não supria 100% do que precisava, ou seja, tinha de recorrer a tutoriais diversos para fazer uma série de coisas.

Após alguns meses aconteceu o mesmo problema da Locaweb, porém o UOL Host simplesmente tirou meu site do ar. Sem aviso. Caiu e pronto. O site ficou mais de 24 horas fora do ar, me trouxe imensos prejuízos. Imagina que você tem um site e vende um banner para um anunciante. Ele acessa para conferir se está tudo certo e se depara com o site fora do ar. Acha que ele vai anunciar novamente, se você não for uma grande empresa? Óbvio que não.

Depois de inúmeras tentativas de contato, recebi um telefonema do pessoal do suporte do UOL Host, se desculpando e dizendo que não poderia fazer nada. A alternativa seria contratar um plano que a empresa acabara de implantar. O pequeno problema é que este plano custava 10 vezes mais do que eu pagava. Simples assim.

Só não cancelei tudo, porque tinha sites menores hospedados lá, que não sofriam com problemas, por serem pequenos. Mas o Curiosando saiu de lá no dia seguinte quando fizeram a boa vontade de liberar ao menos o FTP para que eu fizesse um backup dos meus arquivos.

Tempos depois resolvi cancelar tudo, já que até sites pequenos, com audiência baixa, sofriam com a instabilidade dos servidores deles. Cancelei tudo, e-mail e hospedagem. Foi um martírio… Primeiro me deixaram mofando no chat online. Desisti. No dia seguinte, tive de responder diversas questões para depois ser informado que o cancelamento não poderia ser feito por internet; só telefone. Ué, mas para assinar usei a internet e levei exatos dois minutos, nada mais do que isso. Não importa. Só por telefone. Ao ligar, depois de ouvir aquela infinidade de opções, fui orientado a usar outro número. Liguei. Tive de confirmar milhares de dados, como se estivesse fazendo um financiamento de 30 anos para comprar um imóvel. Como se não bastasse, disseram que eu teria de ligar para outro número pois E-mail e Hospedagem devem ser cancelados em separado. Enfim… Na nova ligação, novamente tive de responder a todas as perguntas. Quando para minha surpresa, ao errar o número do apartamento, o atendente me disse que não poderia cancelar porque eu passei uma informação incorreta. Perguntei qual era e ele disse que não poderia informar e deveria entrar em contato novamente. Agora veja a situação: liguei novamente e com o mesmo atendente repeti todo o processo. O cúmulo do absurdo. O vencimento da mensalidade era no dia 1 de cada mês e eu cancelei justamente no dia 1. Me disseram que eu deveria pagar um valor “x”, que era o equivalente a 70% da mensalidade. Qual a explicação? Nenhuma.

Já adianto que de todas as empresas de hospedagem com as quais trabalhei, a UOL teve de longe o pior suporte e o pior atendimento, se é que pode ser chamado de atendimento, além de ter sido a única a não oferecer opção de cancelamento por internet. Portanto, se você vai usar WordPress na UOL Host e precisar de suporte para que o essencial plugin de cache funcione adequadamente, te desejo muito boa sorte. Não recomendo a ninguém.

Hospedagem 3: HostGator

A experiência que tive com a HostGator foi um tanto engraçada. Não sei o que aconteceu, mas a velocidade do Curiosando caiu absurdamente, mesmo com um robusto VPS, que é o intermediário entre um plano convencional e um servidor dedicado, para sites com altíssima visitação. Porém, tudo ficou lento e nada resolvia. Tentei diversos plugins de cache e nada. O suporte sempre foi rápido, mas claramente não é uma empresa focada em WordPress. Isso é perceptível. Optei então por sair.

Hospedagem 4: Porto Fácil

O melhor suporte que já encontrei até hoje. O Janio Sarmento, responsável pela Porto Fácil, usa WordPress, entende de WordPress e sabe como configurar um servidor para um site WordPress – além de identificar plugins e temas que estão consumindo uma alta carga do servidor e apontar alternativas. Lembro de ter tido uma dúvida esclarecida num domingo à noite. Coisa impossível nas empresas citadas acima. É sem dúvida a melhor opção para sites WordPress com alta visitação.

Infelizmente tive que migrar de lá em 2011, quando fui atingido por uma atualização de algoritmo do Google que fez o site despencar, levando junto o lucro.

Hospedagem 5: KingHost

Conheci a KingHost por recomendação de um conhecido e resolvi arriscar. Foi uma grata surpresa. A resposta do suporte sempre foi rápida e quando precisei sair, o cancelamento foi feito sem maiores problemas, via internet mesmo, como deve ser.

Mas minhas últimas passagens pela KingHost (em 2014 e 2016) foram lamentáveis. Após meses de estabilidade, apesar do site estar um pouco mais lento do que deveria, recebi um e-mail dizendo que eu estava consumindo muitos recursos do servidor e por essa razão tinha 48 horas para resolver ou o Curiosando seria desativado.

Simples assim. Sem orientação, sem justificativa, já que nenhum plugin ou tema fora instalado recentemente e a visitação se mantinha a mesma das semanas anteriores ao fato.

E o pior é que no mesmo dia o site ficou offline por horas seguidas; fato que se sucedeu nos dias seguintes. Lamentável. Me prejudicou demais. Milhares de visitantes encontravam uma página de erro, o Google me jogou para baixo, já que os links todos estavam fora do ar e assim por diante.

Se quiser uma empresa com um bom custo/benefício até recomendo, mas se você tem um site de até 100, 120 mil visitantes únicos. Passou disso é dor de cabeça na certa.

Hospedagem 6: Media Temple

Cansado de pagar sempre mais caro, resolvi buscar opções de hospedagem no exterior. Me indicaram a Media Temple, que é uma das maiores empresas de hospedagem de sites do mundo. Neste caso a experiência não foi boa, mas por culpa minha. Eles oferecem um plano básico em que você não precisa fazer nenhuma configuração. É levar o site e pronto. Mas ele é limitado a sites com 2 ou 3 mil visitantes únicos por dia, pelo que me relataram quem já usou. Portanto, optei por um plano superior. O problema é que você precisa saber configurar diversas coisas e se não estiver familiarizado com manutenção de servidores, dança. E na época eu dancei.

Hospedagem 7: GoDaddy

A GoDaddy, gigante conhecida mais por vender domínios, lançou um serviço de hospedagem voltado para WordPress. Na propaganda garantiam que além do servidor totalmente configurado para as necessidades da aplicação, o cliente contaria com suporte especializado. E além disso, a garantia do dinheiro de volta, caso o cliente desistisse em até 30 dias.

Pois bem, resolvi experimentar. Escolhi o plano mais alto para evitar surpresas desagradáveis e começou a novela.

Fiz o pagamento online e aguardei o e-mail de confirmação e orientação com os dados necessários para começar a trabalhar. Dois dias depois abri um chamado no suporte. Só recebi a resposta dois dias mais tarde. Lamentável, mas aceitável, fazer o que. Aí começou a dor de cabeça.

O FTP simplesmente não conectava. Testei de todas as formas e nada. Ao mesmo tempo conectei em outros três servidores de hospedagens diferentes. Usei então uma conexão de internet alternativa, que é lentíssima, inviável, mas precisava testar. Inexplicavelmente conectou. Abri um chamado para ver se o suporte poderia me ajudar a resolver essa questão, mas infelizmente a resposta veio só três dias depois. Pediram alguns dados da minha conexão para tentarem descobrir o problema. Nada.

Aí foi a vez de importar o banco de dados WordPress. Como ele beirava os 100Mb, precisaria importá-lo via SSH, pois o phpMyAdmin tem um limite pequeno. Não tinha acesso ao SSH. Lá se foi outro chamado aberto no suporte, para que eles fizessem essa importação para mim. Dois ou três dias depois me responderam com um link de alguns artigos da FAQ da própria GoDaddy. O único problema é que nenhum desses links se aplicava ao servidor WordPress Gerenciado, que por ser novo, não conta ainda com praticamente nada de ajuda (até abril de 2014 pelo menos). Resultado. Tive que particionar o banco de dados em 10 na tentativa de resolver a questão. Após importado, nada de funcionar. Tentei apagar a instalação do WordPress para refazê-la por conta (as tabelas da instalação que fizeram eram incompatíveis com tabelas padrão e eu não queria perder horas mudando e verificando tudo isso). Sem chance. Os arquivos eram todos bloqueados, por segurança. Sem poder apagar, sem conseguir instalar, sem conseguir trabalhar, só me restou cancelar. Esse processo todo, que em condições normais deveria levar 2 dias no máximo, já se arrastara por quase 10 dias. Primeiro porque levou quase quatro para que eu pudesse começar a usar, depois porque o suporte simplesmente não existia.

No dia seguinte recebi uma resposta de que infelizmente eu deveria ter cancelado em até 48 horas. O reembolso para cancelamento em até 30 dias é apenas para quem pagasse a hospedagem anual, ou seja, os 12 meses em uma só parcela. Ridículo. E absurdo, pois quando assinei fiz questão de ler com atenção o contrato de hospedagem e não havia absolutamente nada de 48 horas.

Respondi isso para a GoDaddy ao mesmo tempo em que fiz uma reclamação no ReclameAqui, alertando futuras vítimas, quero dizer, clientes.

Dois dias depois a central de relacionamento da GoDaddy me enviou um e-mail confirmando a devolução do que me era de direito.

Enfim. Triste. Uma empresa gigantesca como essa resolve criar um produto no Brasil e esquece que é preciso ter pessoas que saibam operá-lo. Tomara que corrijam isso, mas eu não pretendo trabalhar com eles novamente. O trauma foi grande.

Hospedagem 8: Systhesis

Chega uma hora em que você cansa de bater a cabeça e se pergunta por que não procurar no exterior (que é mais barato) uma empresa que entenda de WordPress? Existem diversas e os preços variam muito, mas o custo sempre será menor, afinal, vivemos no país dos impostos e tudo aqui é mais caro.

A Systhesis é uma empresa especializada em WordPress e hospeda sites de respeito, como o Yoast, criador do plugin WordPress SEO, o mais famoso do gênero (que foi inclusive onde eu encontrei a indicação desta empresa de hospedagem).

Assim que você se torna cliente, recebe um WordPress instalado e configurado, inclusive o plugin de cache, e você pode enfim se preocupar com o que realmente importa: o conteúdo do site.

Não tenho do que reclamar. Servidor rápido, estável e só precisei de suporte para arredondar o site nos dias em que migrei para lá. E a velocidade de atendimento também foi fantástica. Tal qual a Porto Fácil, fui atendido num domingo a noite. Ah sim, e se eu quiser cancelar é só criar um ticket no suporte e o processo é imediato, como em todas as empresas que trabalhei (exceto a UOL Host).

Hospedagem 9: WPHostingSpot

Apesar de satisfeito com a Systhesis, fui convidado a testar a WPHostingSpot, uma empresa de hospedagem também especializada na plataforma WordPress, mas com preços bem menores. E em tempos de dólar alto (pelo menos em agosto de 2015; momento em que atualizo este post), vale a pena economizar. Transferi o site em agosto de 2015 e no primeiro momento não tenho do que reclamar. Eles próprios fizeram a migração do site, bem como a configuração já que a Synthesis utilizava o W3 Tocal Cache enquanto a WPHostingSpot trabalha com o WP Super Cache. Após um mês o resultado me surpreendeu. O servidor é realmente rápido e bem configurado, não devendo em nada para as empresas com preços mais altos. Depois de alguns meses tive problemas com o banco de dados. Perdi muitos comentários em um post específico e precisei de muita ajuda do suporte, e paciência, para contornar a situação, mas não consegui resolver de vez o problema no banco de dados, por isso resolvi sair. Não sei se tem a ver com isso (o suporte deles também nunca tinha visto tal problema), mas eles utilizam a linguagem MariaDB ao invés de MySQL.

Hospedagem 10: Digital Ocean

A Digital Ocean é uma empresa não muito convencional. Você aluga espaços e é responsável por instalar e configurar suas aplicações. Por isso é recomendada para quem já tenha conhecimentos nessa área. Mas em termos de velocidade e preço não se compara a praticamente nenhuma outra empresa. E apesar de não contarem com servidores no Brasil não senti nenhuma queda de visitação, comparando com a KingHost, que foi a última empresa nacional com a qual trabalhei. Estável e rápida, recomendo muito.

É isso. Estas foram as empresas de hospedagem de sites que utilizei entre 2008 e 2016. Aproveite e compartilhe a sua experiência, afinal, ela pode tanto complementar como ser totalmente diferente da minha. No final, quem ganha é quem está em busca de opiniões sobre o assunto. E se este for o seu caso, boa sorte na migração.