Comprar uma casa nova ou restaurar

Quem mora há bastante tempo no mesmo lugar, provavelmente, deve querer mudar inúmeros detalhes, como a pintura e até mesmo a estrutura do imóvel. Dependendo da situação, a reforma e restauro pode envolver tantos fatores que trocar de residência se torna uma alternativa possível.

Antes de tomar essa decisão, é importante avaliar diversos aspectos para saber qual opção é a melhor. Por se tratar de uma mudança que afetará toda a família, vale a pena considerar todos os pontos para escolher de maneira mais segura. Confira o que levar em consideração antes de reformar ou trocar de residência!

Originalidade

Se você preza pela arquitetura e história do local, talvez valha mais a pena restaurar a casa em que já está. Dessa forma, você conseguirá preservar o charme de outra época e ainda deixar um patrimônio ainda mais especial para a sua família.

Além disso, é possível misturar os estilos, antigo e moderno, em um só espaço. Certamente, isso criará um ambiente único e não facilmente encontrável nas novas residências, que costumam seguir uma linha de padronização.

Gastos

Trocar de residência não é barato, mas reformar também não é. Se você pretende vender a casa atual e se mudar para um imóvel menor, porque a família diminuiu, o custo pode compensar. Nesse caso, você terá até um lucro com a diferença dos imóveis e poderá usá-lo em outra situação.

Mas se a intenção é permanecer no mesmo lugar para evitar gastos: atenção! Mesmo uma simples pintura pode não ser tão econômica quando pensada a longo prazo. De acordo com a arquiteta Luciana Paixão, escolher uma tinta de melhor qualidade significa pintar menos vezes ao longo dos anos, além de melhor cobertura.

Família

Caso opte pela restauração do imóvel, onde a família ficará quando isso for feito? Se a reforma incluir a quebra de paredes, por exemplo, isso levantará muita poeira e poderá prejudicar a rotina na casa.

Por outro lado, mudar de residência também gera certo desconforto. É preciso embalar tudo, organizar o transporte e depois organizar tudo novamente. Nos dois casos, tanto a reforma quanto a mudança, são processos que exigem tempo e paciência.

Desgaste

Quando a casa tem muitos anos, é comum que ela apresente rachaduras e problemas estruturais, como fiação elétrica. Com relação a isso, é importante que um especialista avalie tudo o que precisa ser alterado.

Caso a residência necessite de mudanças significativas e o apreço pela história do local não for tão grande, a restauração pode não ser o melhor caminho. Até porque existem inúmeros imóveis antigos à venda que passaram por reformas há pouco tempo. É importante avaliar qual casa dará menos trabalho e benefício no médio prazo.

Valorização

Leve em consideração também como o imóvel estará daqui alguns anos. O imóvel que você pensa em comprar talvez precise de uma reforma para que continue valorizado. Então, essa decisão não deve contemplar apenas o presente, mas ser algo para o médio e longo prazo. Daqui alguns anos o que terá valido mais a pena: restaurado e cuidado de um bem da família ou trocado por outro mais novo?

COMPARTILHAR
Paulistano, radicado em Santa Catarina, apaixonado por tecnologia e informação. Em 1993 começou a trabalhar com design e diagramação; é Webmaster do Curiosando desde 2008.